A visão de Pepe Filho e a minha visão sobre as manifestações de 15/03

lutando

Por Amorim sangue Novo

Durante todo o dia acompanhei a passeata atraves da TV, sites e redes sociais, nestas fiz diversas postagens de frases extraídas da mídia em geral e acompanhei passo-a-passo aos comentários, pois é nas redes socias que temos contato com as pessoas de todas as camadas.

Nas TVs. e sites jornalísticos o que me chamou a atenção foi o descabimento entre os números de presentes apresentados pela PMSP e Globo, a primeira sob o comendo do governador Alckmin e a segunda aliada a grupos de capitalistas e “coronéis”, enquanto o Datafolha estimou em 210 mil pessoas.

Outra coisa que me despertou a atenção foi a aparência das pessoas presentes à manifestação, aparência de pessoas com nível financeiro de médio para alto, o que foi também postado em vários sites e jornais impressos.

Já o panelaço durante o comentário dos ministros, estes vieram de moradores em bairro mais nobres, como Jardim Paulista e Moema. Nas cidades do interior de SP, do Rio e de Minas a mesma coisa e, o DCM pergunta: “Onde estão os negros no protesto de Salvador?”.

Quanto ao esperado pedido de impeachment este foi pouco, uma vez que o candidato Aécio Neves, menino mimado que perdeu a presidência e ainda inconformado, em sua ira insinuou, porém ao saber da impossibilidade deste, mudou o discurso e o povo, nada bobo (nem todos), percebeu a “jogada” e também mudou o discurso nas ruas e avenidas.

Aécio, que devia estar trabalhando em seu gabinete, perde assim pela terceira vez para a presidenta Dilma, sendo da primeira vez a cadeira no Palácio do  Planalto nas eleições, a segunda, quanto pediu recontagem de votos e a terceira, quando os brasileiros, ao perceber suas intenções ao “sugerir” inicialmente, tal manifestação pró impeachment.

“O que vimos pelo Brasil foram atos contra o governo Dilma e contra o PT que expressaram uma indignação geral contra a corrupção e a carestia. Entretanto, ao não ter uma ideologia crítica, anticapitalista, o que predominou foi a ideologia da classe dominante, e no guarda chuva desta ideologia as posições de direita e extrema direita também se expressam.” (Luciana Genro).

Assim…  Durante a madrugada e manhã desta segunda (16), analisei todos os comentários em minhas postagens nas redes sociais e diante de alguns insanos e de pessoas totalmente alienadas aos acontecimentos, encontrei a postagem mais adequada, a qual foi publicada por Pepe Filho no Facebook, o qual me autorizou expressamente o seu uso. Leiam:

Pepe Filho desabafa no Facebook

Pepe Filho com Fábio Pedace e outros 16

“Dá preguiça, mas vou resumir: essa passeata de hoje foi extremamente equivocada. Vou citar alguns motivos os quais fizeram de hoje o primeiro dia em que senti vergonha de ser brasileiro. Vergonha alheia, mas ainda assim, vergonha.

– A passeata foi planejada, financiada e propagandeada por grupos ligados à grandes capitalistas (Soros, Lemann, Marinhos), grande imprensa e partidos de extrema direita (Solidariedade, DEM, PSDB). Esses grupos perdem com a política de combate à corrupção e de redistribuição de renda do governo federal. Só por este motivo tal passeata já perderia qualquer resquício de credibilidade. Mas tem mais.
– Clamaram por democracia justamente numa data que homenageia a ditadura. A maioria das marionetes que foram à passeata não tem esse conhecimento histórico-político, mas os manipuladores não escolheram essa data por acaso. Coerência zero.
– Clamaram por impeachment analisando somente dois meses de governo. Como é que se pode avaliar uma presidenta por um período tão curto? Seus primeiros quatro anos de governo já foram avaliados e postos à prova, e foram aprovados, vide as eleições do ano passado.
– Clamaram pelo fim da corrupção ao mesmo tempo em que pediram a queda do único partido que efetivamente a combate, que não ordena o engavetamento de denúncias e impede investigações. Coerência zero.
– Criticaram e ofenderam uma presidenta que, ironicamente, dedicou sua vida à luta pela liberdade de manifestação, inclusive sendo presa ilegalmente, torturada, espancada e estuprada durante sua luta contra a ditadura. Ou seja, graças à luta da Dilma que os manifestantes de hoje podem protestar. Coerência zero. De novo.
– Clamaram contra a corrupção mas não foi avistado nenhum cartaz citando o suissleaks, o trensalão, os mensalões tucanos, o sabespgate, os aeroportos mineiros, o caso helicoca, a corrupção na petrobrás nos anos fhc, a compra da reeleição do fhc, os sanguessugas da saúde, o caso dos 4 bilhões desaparecidos da saúde mineira, as estatais que foram doadas a parceiros comerciais tucanos, as gravações das promessas do Serra de entregar nosso petróleo aos EUA caso o PSDB ganhasse as eleiçoes federais passadas, a privataria tucana, o daslugate, o caso Rodrigo de Grandis, o caso Geraldo Brindeiro, o caso Banestado, o caso Sudam, a operação navalha, os anões do orçamento, o trtgate, o caso Marka, só para citar alguns das centenas de escândalos de corrupção ligados à direita, todos com fartura de provas. Já falei em coerência?
– Citaram o “mensalão petista”, um esquema onde o STF, na ausência total e absoluta de provas, desenterrou um inédito recurso jurídico chamado Teoria do Domínio do Fato para condenar líderes esquerdistas falsamente ligados à corrupção. Corrupção direitista com abundância de provas é ignorada, suposta corrupção esquerdista sem prova alguma é condenada.
– Alguns subgrupos foram às ruas protestar para pedir a volta da ditadura militar, que proibia protestos. Usaram a liberdade para pedir o fim da liberdade. RIP coerência.
– Desferiram incontáveis xingamentos de baixíssimo calão a uma dama que é a autoridade máxima do país. Na frente das crianças. Que vergonha.
– Proferiram generalidades como “pt é corja de ladrões”, “quadrilha”, “sujos”, “varrer os petralhas corruptos”, quando não há a menor evidência ou resquício de prova de que tal partido seja corrupto. Pelo contrário, nunca se combateu tanto a corrupção neste país quanto agora. E é justamente isso que faz os corruptos donos das mídias doutrinarem as pessoas para que acreditem que os heróis são bandidos, e estes, os verdadeiros heróis.
– Não assumem que a imensa maioria dos manifestantes são bem nascidos, de classe média alta, brancos e politicamente analfabetos. Exceções apenas salientam a regra.
– Os mesmos manifestantes deram de fazer “panelaços” em rincões de riqueza, sem a menor noção do seu real significado (ligado à fome, coisa que não passam e que o pt caminha para zerar no país). O fizeram apenas na tentativa de calar a voz da esquerda durante pronunciamentos oficiais.
– O uniforme oficial dos manifestantes foi a camisa da seleção brasileira de futebol. A grande maioria falsificada. Com a CBF afundando em corrupção.
– Alardearam uma crise que não é vista nas ruas (lotadas de carros), nos mercados (com estacionamentos lotados) e na economia em geral, aquecida mesmo frente a uma crise internacional. Aliás, falam muito dessa crise, mas fatos e dados ALARMANTES não aparecem, apenas ajustes de segurança e variações normais de índices dentro das tolerâncias estatísticas.
– Criticam aumentos de taxas e impostos federais mas não os estaduais (SP).
– Enfim, eu poderia gastar mais algumas centenas de linhas digitadas aqui para ilustrar a vergonha que senti hoje. Vergonha de fazer parte de um povo tão alienado, tão facilmente manipulado, tão politicamente analfabeto, tão cego, tão ingrato, tão preconceituoso. Aliás, o preconceito foi o verdadeiro motor motivador dessas pessoas que não suportam mais dividir espaço com pobre nos aeroportos, restaurantes e shoppings. Que não aceitam que a empregada use para trabalhar o mesmo perfume que a madame usa para sair. Que não admitem encontrar empregado em Miami durante as férias. Que não admitem que pobre faça faculdade e pós-graduação. E o pior, no exterior! Um povo que viu um pobre metalúrgico e uma ativista subversiva chegarem à presidência e governarem mehor que a direita, com governos voltados para os necessitados e tentando exterminar a corrupção, mesmo com o congresso e mídia contra. Onde já se viu isso?
– Sim, também quero o fim da corrupção, melhores condições na economia, na saúde, na educação, na gestão do erário público, mais emprego, combate à inflação, reformas política e eleitoral, reforma tributária, fortalecimento da democracia, defesa dos nossos tesouros nacionais como o petróleo, ética nas gestões das estatais, falta muito ainda, e justamente por isso que votei na Dilma. Ela e seu partido vem provando que, mesmo com a intensa oposição política e midiática, podem atingir essas metas.
– Enfim, muita vergonha. Porém, minha vergonha pode até ser atenuada por não depender de atos meus. Mas meu rubor na face não esconde a imensa vergonha alheia que senti hoje. Que falta fazem os livros de história.”