Executivo de Panorama desrespeita direitos de moradores e pedido de vereadores

Executivo de Panorama desrespeita direitos de moradores e pedido de vereadores

Troféu para o trio parada mole amorim sangue novo
Clique na imagem para ampliar

Moradores da cidade de Panorama, cada vez mais desiludidos com a gestão do prefeito e vice-prefeito, demonstram sua insatisfação através de denúncias às mídias e em redes sociais, chamando a atenção para o descaso dos administradores.

Ao mesmo tempo o Executivo desrespeita e não cumpre indicações/pedidos dos vereadores que a cada dia se queixam do gestor e, ao mesmo tempo demonstram fraqueza ao não tomar atitudes severas para que a cidade saia deste caos em que se encontra.

No caso do vídeo abaixo, já houve indicação há mais de um mês e nenhuma atitude foi tomada.

Veja trecho da pauta da 18ª sessão realizada em 27/10/15
“Vereadora SORAYA APARECIDA FONSATI MÁZZARO, solicitando ao Senhor Prefeito Municipal, no sentido de providenciar abertura da Rua Agamenon Olindo de Souza, no trecho a partir da Avenida Geldri Pesce, após a residência do Senhor Ratinho, haja vista que nesse local a referida rua não é asfaltada e o mato está tomando conta da via pública, impossibilitando a passagem de veículos pelo local.”

Vejam vídeo recebido pelo Sem medo da verdade neste domingo (29)

1 2 3

Viva os funcionários da saúde, Viva os moradores de Panorama, acorda prefeito

Viva os funcionários da saúde, Viva os moradores de Panorama, acorda prefeito

agentes do PSF III de PanoramaPor Amorim Sangue Novo

Em matéria de ontem (veja) comentei de forma indireta a falta de sequer um lanche para os funcionários de Panorama, o que ocorreu durante o evento de Outubro Rosa, na cidade.

Hoje, já preparado para fazer comentário sobre a frase do jornalista Miguel do Rosário, que citou em matéria no site BR29 (veja) que “Se o governo Dilma tem problemas, e ninguém os nega, pressionemos para que sejam resolvidos sem rupturas democráticas. Muita coisa está errada em nosso país. Mas não é só no governo federal. É nas prefeituras, nos governos estaduais, no ministério público, no judiciário, na mídia, na sociedade”.

De fato os problemas vêm de baixo e até já comentei sobre o assunto (veja matéria aqui ou aqui), onde cito que urge ações dos munícipes em se manifestarem junto aos órgãos de defesa, cobrança aos vereadores, denúncias à mídia séria e imparcial e aos governos estadual e federal. Cabe ainda aos moradores que se sentirem lesados em seus direitos e necessidades, entrar com denúncia formal junto ao Ministério Público através da promotoria local.

Agora vejamos como funciona o sistema nos órgãos públicos das cidades:

1-O servidor do público que tem ou causa algum problema, não consegue levar ao conhecimento do prefeito, porque deve levá-los ao seu superior, porém para evitar que haja desgastes prefere se omitir.
2-Quando o superior fica sabendo não leva ao conhecimento do diretor ou secretário.
3-Quando o diretor fica sabendo não leva ao conhecimento do prefeito.
4- Quando o prefeito fica sabendo, na maioria dos casos, finge não saber, para que se crie uma boa imagem de sua gestão e até para não se desgastar eleitoralmente.

Porém nas cidades pequenas, como é o caso de Panorama, o prefeito deve tirar a bunda da cadeira e ir a campo, como se fiz no jargão jornalístico e se inteirar de tudo o que acontece em sua volta. Vez em quando dar uma passadinha por um posto de saúde, uma escola, (aliás, pra não perder o sarcasmo, muitos prefeitos precisam passar por uma escola mesmo), etc. não irá absorver tanto tempo e, se for o caso, este tempo deve constar de sua agenda.

Se estas visitas surpresas acontecessem o prefeito em exercício, iria saber que durante o evento Outubro Rosa nos ESFs. e Posto Central, apesar de trabalharem até 22 horas, segundo denúncias de leitores que preferem não se identificar, os funcionários sequer tiveram um lanche e os adornos e preparativos foram pagos com dinheiro do próprio bolso e com auxilio de moradores, que ajudaram com lanches, cafezinho, etc.  Ainda segundo denúncias, os recursos não foram liberados por alegação que não há verbas na prefeitura.

Sei que meu amigo Nick, se ficar sabedor (se é que não sabe), desta situação, com certeza iria se sensibilizar a abrir mão do subsídio de prefeito e ficaria com o de vice, que é a sua posição real, dispondo assim de por volta de nome mil reais referente á diferença dos salários do prefeito e do vice, para possíveis situações desta natureza, afinal tais despesas não se pode e nem devem ser supridas pelos funcionários e muito menos ainda pelos munícipes que já são taxados através de impostos para que gastos desta natureza fique a cargo do Executivo, além disto, o governo estadual e federal disponibiliza de recursos e estes recursos devem ser administrados de forma a que não se sacrifique os já mal pagos funcionários e os usuários.

Quanto a se queixar aos vereadores, um dos queixosos disse que todos eles estão desacreditados e não merecem ser consultados e que na hora de tirar fotos todos estarão presentes bem, aparecer em fotos é o que eles mais gostam mesmo, sendo que um deles já foi apelidado por este jornalista de chaveirinho do Lulu.

A mim causa surpresa é a a omissão do Sindicato dos Funcionários, que aliás ultimamente se faz constante, em fazer com que tais situações não perdurem.

Como se vê e pra fazer trocadilhos: As coisas não foram tão rosas no Outubro Rosa, só espero que no Novembro Azul, fique tudo azul e que até lá no caminho dos funcionários só haja flor… Flor? A ta! Flor mesmo.
Por enquanto, viva para os funcionários e população, pêsames para o Executivo.

Na foto do arquivo do Jornal Digital Panô City funcionários do público na inauguração do antigo ESF do bairro Nosso Teto