Câmara de Panorama realiza sessão com severas críticas ao desempenho do Executivo

Câmara de Panorama realiza sessão com severas críticas ao desempenho do Executivo

topoPor Amorim Sangue Novo

Na sessão desta terça (13) a Câmara dos vereadores de Panorama realizou a 17ª sessão ordinária, quando diversos vereadores fizeram sérias queixas sobre o não empenho do Executivo em realizar os serviços pedidos por indicações destes.

O vereador Suli, por exemplo, citou textualmente, “precisa falar que precisa bebedouro?”, se referindo ao pedido de instalação de bebedouro nos ESFs., feita pelo vereador Lincoln.

Na tribuna Andrezinho citou a falta de documentação não enviada à Defesa Civil de São Paulo, para que fosse decretado o Estado de Emergência na cidade, devido o temporal do dia 10 de setembro passado. Entre outras queixas, Andrezinho disse que se fosse se queixar de tudo iria ficar até o amanhecer.

Ainda na tribuna, Tião Pescador foi taxativo ao citar que, desde o início de seu mandato tem feito críticas à atuação do chefe do Executivo e que, ultimamente tem se calado, mas agora está se vendo o reflexo de suas palavras no que está acontecendo na cidade.

Foram diversas situações de falta de empenho do Executivo, sendo que a vereadora Soraya, que sempre fez defesa de forma indireta ao governo municipal, por várias vezes citou que o empenho deve vir dos diretores de cada setor, mas também se rendeu e acabou ironizando os ventiladores quebrados do Procap.

O que a mim causa surpresa é que os vereadores, somente depois de quase três anos, há menos de um ano das próximas eleições e, justamente agora que o prefeito Luis Carlos não está desenvolvendo as funções por motivo de saúde, tendo inclusive, a aprovação formal da Câmara e estar sendo substituído pelo vice-prefeito, venham se queixar de situações que persistem desde o começo de seus mandatos.

Comver peixe amorim sangue novoCreio que, justamente nesta hora é que se deve dar uma ajuda ao prefeito em exercício e, não só os vereadores como a imprensa e população em geral, evitando críticas, até se verificar o desempenho do vice Nick da Farmácia que está desempenhando interinamente o papel de prefeito.
Vale lembrar ainda em que, neste caso fica improvável uma justificativa pessoal do prefeito Luis Carlos, portanto críticas deste tipo deveriam ser feitas durante sua gestão à frente do Executivo, como fazia o vereador Tião Pescador e este humilde jornalista. Aliás por falar em pescador, lembrei-me de uma frase que citei há anos atrás para um pescador e morador na cidade de Praia Grande: Comer peixe comprado na peixaria é fácil, quero ver é enfrentar as marés em época de temporal.

Quanto a se colocar culpas em diretores de setores, ou no Coca, irmão do prefeito, que desenvolve a função de diretor geral (a meu ver caracterizado como nepotismo), creio que há de se verificar o empenho destes de forma permanente, porém não atribuir erros aos mesmos, uma vez que cabe sempre ao prefeito responder pelo desempenho destes.

Mídia
Na tribuna o vereador Andrezinho se queixou que a imprensa divulgou a sua ausência em sessão anterior, mas não publicou o que ele estava fazendo no dia em que faltou a sessão, pois estava fazendo serviços para a população na cidade de São Paulo.

Acredito que a maioria dos políticos das pequenas cidades não esteja habituada com a tecnologia atual, onde o imediatismo da informação é cada vez maior e, neste caso, meu amigo Andrezinho, talvez até por não entender da área de comunicação, não saiba que a notícia é dada no momento em que ela acontece. Como eu citava anteriormente um meu site Panô City, notícia atrasada não adianta nada, portanto cabe à Câmara, se dirigir à imprensa enviando informações sobre o procedimento dos vereadores, inclusive solicitando que seja feita em matéria, para que fatos desta natureza possam ser esclarecidos para a sociedade, até para justificar seus subsídios, o que é dever de todo homem públicos prestadores de serviços à municipalidade.

Creio ainda e, aproveito para deixar a sugestão, que todo tipo de ausência ou atraso, seja justificada pelo presidente da Câmara, em sessão posterior ao acontecimento.

Energia elétrica
A falta de energia e gastos por iluminação e luzes acesas durante o dia em ruas da cidade, também foi motivo de queixas por parte dos vereadores, os quais citaram a empresa fornecedora como responsável pelas falhas, sendo que um dos vereadores, -creio que o Suli -, disse que uma monção de agradecimento à empresa, estava na pauta da sessão, mas que este pediu que fosse suspensa.

O que vejo é que diversas pessoas têm feito reclamações nas redes sociais sobre a falta de energia em suas residências e ruas mas, em cabendo à empresa fornecer os serviços, estes devem ser cobrados pelo Executivo e, aproveitando a citação do Suli, ficam aqui as perguntas: precisa falar que precisa os reparos? Precisa falar que precisa evitar monções para quaisquer atos, seja de ordem pessoal ou profissional, por atos de obrigação destes, precisa?

A hora é de afrouxar a corda para que o Executivo possa trabalhar

A hora é de afrouxar a corda para que o Executivo possa trabalhar

dilma x aecioPor Amorim Sangue Novo

Há alguns dias tenho pensado no quanto o “menino mimado”, Aécio, poderia ser útil ao país se desenvolvesse suas atividades no senado de modo ajudar a governar e não a tentar destruir a presidenta em exercício.

Penso no por que de entre 81 senadores, somente o Aécio se propõe a “bater” diariamente e constantemente na presidenta Dilma, representante fiel do povo, através dos votos.

Claro que o que vejo é apenas revanchismo e o peso de ter perdido as eleições.

Vejo uma falta de sandice e ira pelo fato de Dilma estar se sobrepondo a todos os ataques feitos por ele, agora com a inclusão de outros membros do partido, principalmente pelo FHC que já partiu para o ataque ao PT e ao ex-presidente Lula, na pretensão de uma possível disputa entre os dois em 2018.

Entre os mais de seis e-mails que recebo diariamente, enviados pelo PSDB, nesta manhã de sexta (10) me deparei com o abaixo, onde finalmente, sem ter como responder de modo a contrariar a presidenta Aécio só pode responder o óbvio “Não somos nós, da oposição, que vamos definir o que vai acontecer com o futuro da presidente da República. Depende muito mais dela e depende, em especial, do povo brasileiro”,

A partir daí, povo brasileiro; Aécio’s; FHC’s e Cunha’s da vida vamos deixar o Executivo trabalhar de modo a que possa desenvolvê-lo do modo que estava trabalhando em exercícios anteriores, deixar o revanchismo por haver perdido as eleições para a Dilma, assim como os eleitores do Aécio, precisam entender e respeitar os eleitores que preferiram votar na candidata do PT.

A hora é de afrouxar a corda para que o Executivo possa trabalhar e, caso houver a necessidade do “enforcamento”, que este seja feito sem os fetiches e sonhos de trono do Aécio, mas da nação, exclusivamente da nação.

Abaixo texto recebido por nossa redação:

“Não fazemos aqui pré-julgamentos, mas eu quero dizer que ninguém, absolutamente ninguém neste país, inclusive a senhora presidente da República, está acima das instituições. E é por isso que nós cumpriremos o nosso papel, dentro dos preceitos constitucionais, para garantir que, apesar do desastre que tem sido o governo, o Brasil possa encontrar um futuro de reconciliação com a esperança, com o desenvolvimento, e principalmente com a verdade dita por seus governantes”, afirmou o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, em pronunciamento hoje (09/07), no Senado Federal. Aécio respondeu a declarações dadas pela presidente Dilma: “Não somos nós, da oposição, que vamos definir o que vai acontecer com o futuro da presidente da República. Depende muito mais dela e depende, em especial, do povo brasileiro”, afirmou.

Imagem: Valdcnet

Leia também:

Nem Tancredo, nem FHC: quem faz a cabeça de Aécio é Lobão >>>