Deputado custa até R$ 2 milhões por ano aos brasileiros

Salário de cada parlamentar, com verbas extras, chega a R$ 83 mil. Incluindo-se os gastos com comissionados de gabinete, um mandato custa R$ 180 mil por mês

Responsáveis por decidir sobre as leis que afetam a vida de todo cidadão, os 513 deputados federais fazem parte de um seleto grupo muito bem remunerado no Brasil. Consideradas as principais verbas a que têm direito, cada parlamentar pode receber sozinho até R$ 83.628,53 por mês. Somado à verba para custear os funcionários de seu gabinete, o político pode custar mensalmente até R$ 180.744,66 aos cofres públicos brasileiros, valor que no ano chega a R$ 2.168.935,92 por cadeira.

Este valor poderia diminuir, mas é deles também a atribuição votar os projetos de lei que tratam de temas como reajustes, número de vagas no Legislativo e criação ou extinção de benefícios para eles próprios. Os parlamentares decidem ainda sobre temas como a reforma política e a criação de mecanismos mais rígidos para fiscalização e punição por casos de corrupção.

Com tudo isso, o salário dos deputados federais é de R$ 33.763,00, mesmo valor pago aos ministros do Supremo Tribunal Federal e remuneração máxima permitida aos funcionários públicos do país. No ano passado, os deputados federais chegaram a aprovar um novo aumento para os ministros que elevaria o subsídio para R$ 39.293,32 em 2017, mas o texto seguiu para o Senado e parado ficou, embora esteja pronto para votação em plenário. Se passar este ano, a proposta pode gerar um novo reajuste para deputados e senadores.

Além do salário, cada deputado tem direito a uma cota para arcar com as despesas de mandato com itens como combustível, alimentação, passagens aéreas e hospedagens. O valor varia de acordo com o estado do parlamentar, indo de R$ 30.788,66 para os políticos do Distrito Federal a 45.612,53 para os de Roraima. No caso de Minas Gerais, cada um dos 53 deputados federais pode gastar até R$ 36.092,71.

Imóveis 

Com todas essas verbas, os parlamentares também não precisam se preocupar em gastar com moradia em Brasília. A Câmara dos Deputados tem 432 imóveis funcionais dos quais 90% estão atualmente ocupados, segundo a Casa. Para os que não estão nestes locais são oferecidos mais R$ 4.253,00 por mês. O valor pode ser creditado em espécie para o deputado (neste caso é descontado o imposto de renda) ou ser pago como reembolso.

Também fazem parte das verbas dos deputados federais R$ 97.116,10 para contratar funcionários. Com o dinheiro, eles podem contratar até 25 comissionados com salários que podem ir de R$ 845 a R$ 12.940.

Em 2016, os gastos da Câmara dos Deputados somaram R$ 5,2 bilhões. A assessoria da casa não soube informar quanto deste valor foi gasto especificamente com os deputados, mas no detalhamento do orçamento é possível ver o quanto algumas cifras específicas consumiram. A ajuda de custo para moradia de agentes públicos, por exemplo, custou R$ 9.236.112,07. Com reforma de imóveis funcionais, a Câmara despendeu mais R$44,3 mil, embora estivessem previstos inicialmente R$ 500 mil.

Para “processo legislativo, fiscalização e representação política”, o orçamento registrou mais R$ 499,2 milhões em 2016. Rubrica de mesmo nome registrou mais R$ 3,5 milhões. Ainda segundo o detalhamento, somente a construção de um centro de gestão e armazenagem de materiais da Câmara significou mais R$ 1,4 milhões em gastos.

Cotão dos mineiros consome R$ 21 milhões
Somente com o cotão parlamentar, os deputados federais mineiros custaram ao poder público um total de R$ 20.981.768,39 de janeiro a dezembro de 2016. O valor foi registrado para 53 deputados (são 53, mas houve substituições ao longo do ano). No total, as 27 bancadas consumiram R$ 211.381.203,30 com despesas com itens como combustível, hospedagens, divulgação do mandato parlamentar, complementação do auxílio-moradia e outras.

Foi a segunda bancada que mais gastou com a verba indenizatória no ano, perdendo apenas para os parlamentares de São Paulo. Cada um dos mineiros tem direito a gastar até R$ 36 mil, o que em 12 meses significam R$ 433,1 mil por gabinete. Quem está licenciado por ocupar secretarias de estado não pode se valer da verba, mas tem direito a optar pelo salário do Legislativo.

Para São Paulo, estado com mais cadeiras (são 65 titulares, mas em virtude das trocas o número registrado no sistema da Câmara chega a 81), os cofres públicos pagaram R$ 26.120.326,25 em 2016. Também os deputados do Rio de Janeiro, Bahia, Paraná e Rio Grande do Sul estão entre os que mais gastaram com a verba indenizatória.

A despesa dos deputados fluminenses registrada de janeiro a dezembro de 2016 foi de R$ 16,6 milhões. Já os baianos receberam juntos R$ 16,4 milhões. Para Paraná e Rio Grande do Sul, as restituições somaram respectivamente R$ 12,3 milhões e R$ 13,5 milhões.

O que é a cota parlamentar
Instituída pelo Ato 43/2009 da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, a cota para o exercício da atividade parlamentar unificou a verba indenizatória (que vigorava desde 2001), a cota de passagens aéreas e a cota postal-telefônica. Visa ao custeio de despesas típicas do exercício do mandato parlamentar .

Ganhos parlamentares
Veja alguns dos itens que financiam o mandato dos deputados

Salário:
33.763,00

Cotão:
De R$ 30.413,80 (DF) a 45.612,53 (RR). Varia de acordo com o estado do deputado.

Auxílio-moradia:
R$ 4.253,00

Verba de gabinete:
R$ 97.116,13 para contratação de funcionários sem concurso público

Quanto cada estado que consumiu com o cotão
MG    R$ 20.981.768,39
AC    R$ 3.969.036,85
AL    R$ 3.446.953,55
AM    R$ 3.197.558,12
AP    R$ 4.043.411,46
BA    R$ 16.455.056,20
CE    R$ 9.568.085,66
DF    R$ 2.650.835,35
ES    R$ 3.865.419,32
GO    R$ 6.023.121,76
MA    R$ 8.250.265,70
MS    R$ 3.717.371,04
MT    R$ 3.400.517,95
PA    R$ 7.835.752,12
PB    R$ 5.374.019,17
PE    R$ 10.711.949,47
PI    R$ 4.404.955,53
PR    R$ 12.316.121,57
RJ    R$ 16.684.717,52
RN    R$ 3.782.432,28
RO    R$ 3.634.865,45
RR    R$ 4.087.673,73
RS    R$ 13.521.290,42
SC    R$ 6.374.643,18
SE    R$ 3.372.905,48
SP    R$ 26.120.326,25
TO    R$ 3.590.149,78

Fonte: Câmara dos Deputados (dados de janeiro a dezembro de 2016)

Daputadas, digo, deputados passarão festas juninas em Campina Grande

Daputadas, digo, deputados passarão festas juninas em Campina Grande

Por Amorim Sangue Novo

171 deputados digo, 171 digo, 171 digo, 171 digo, 171 digo, 151do nordeste são liberados até a próxima quarta-feira para passarem, as festas juninas em Campina Grande/PB

Até aí tudo errado, mas o que me deixa apreensivo é que quando se fala em deputados e políticos não consigo digitar o número 171, digo, 171 digo, 171 digo, 171 digo, 171, digo, 151, com facilidade, pois só vejo em frente gente a tecla sete, de 171.

Além disto, estes caras faltam tanto que não sei o porquê da necessidade de liberação por parte do presidente da Câmara, Eduardo Cunha