Quando quem era esperança também não serve: Aécio Neves é citado – novamente! – em delação premiada

Quando quem era esperança também não serve: Aécio Neves é citado – novamente! – em delação premiada

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) afirmou em acordo de delação premiada que o atual senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi beneficiário de um “grande esquema de corrupção” na estatal Furnas.

Esse esquema, segundo Delcídio, era operacionalizado por Dimas Toledo, ex-diretor de engenharia de Furnas, e que teria “vínculo muito forte” com Aécio.

aécio“Questionado ao depoente quem teria recebido valores de Furnas, o depoente diz se que não sabe precisar, mas sabe que Dimas operacionalizava pagamentos e um dos beneficiários dos valores ilícitos sem dúvida foi Aécio Neves, assim como também o PP, através de José Janene; que também o próprio PT recebeu valores”, diz o texto da delação premiada.

O acordo entre Delcídio e a Procuradoria-Geral da República (PGR) foi homologado nesta terça-feira (15) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki.

Continue lendo aqui >>>

Delcídio nega delação e diz desconhecer documentos

Delcídio nega delação e diz desconhecer documentos

delcidioConfirmando informação antecipada pelo 247 nesta manhã, o senador disse, em nota, que não confirma conteúdo de reportagem que divulgou denúncias de uma suposta delação premiada firmada por ele; “Não conhecemos a origem, tampouco reconhecemos a autenticidade dos documentos que vão acostados ao texto. Esclarecemos que em momento algum, nem antes nem depois da matéria, fomos contatados pela referida jornalista para nos manifestarmos sobre a fidedignidade dos fatos relatados”

Veja declaração na figura abaixo
delcidio_esclarecimento

 

Delcídio, de quando o peixe “morreu” pela boca

Delcídio, de quando o peixe “morreu” pela boca

delcidio íntegra da gravaçãoamorim sangue novo“Numa conversa de 1h35 minutos, o líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), revela seu plano para conseguir um hábeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para tirar o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró da prisão e enviá-lo para fora do País. Em troca, Cerveró não faria acordo de delação premiada em que citaria o senador.

A conversa foi gravada pelo filho de Cerveró, Bernardo, que participou de uma reunião com Delcídio e o advogado da família, Edson Ribeiro.

Delcídio do Amaral foi preso no dia, 25 deste mês, pela Polícia Federal, por ordem do Supremo. O senador foi detido por tentar barra as investigações da Operação Lava Jato.”

Ouça toda a conversa do Delcídio do Amaral, o que lhe rendeu a prisão em pleno exercício do mandato de senador.