“A inguinoranssa é que “astravanca”o progressio”


PlatãoPoliticaPor Amorim Sangue Novo

A matéria abaixo cita que o Datafolha aponta que 63% apoia abertura de processo de impeachment contra a presidenta Dilma.

Diante desta posição, e as respostas a questionário, fiz uma breve análise cuja falta de conhecimento da causa, demonstra a ignorância política dos entrevistados, conforme poderá ser visto nos frifos em vermelho que coloquei na matéria.

Após análise você poderá dizer que, com certeza os entrevistados foram eleitores da classe sociais menos favorecidas.

Digamos que sim e, caso seja uma realidade demonstra:

1 – Inconsistência da pesquisa, pois várias camadas sociais devem ser consultadas.

2- É justamente as classe menos favorecida que quer a permanência da Dilma na presidência.

Claro que, se realmente reflete a realidade, os eleitores não sabem por que irão às ruas.

Em matéria no Correio do Brasil, Raul Pont, cita que: “Os partidos que se reivindicam a favor dos princípios democráticos devem dar um exemplo concreto de que não são coniventes com nenhuma forma de corrupção. Os fatos e os desdobramentos recentes…” (leia) e eu pergunto: qual o partido está isento de propensa corrupção?

Por tudo isto temos que saber o porquê de irmos às ruas (veja aqui matéria sobre o assunto)

63% apoiam abertura de processo de impeachment, aponta Datafolha

Apoio a processo contra Dilma se baseia em fatos da Lava Jato, diz jornal.
Instituto fez 2.834 entrevistas em 171 municípios, nos dias 10 e 11 de abril.

Do G1, em Brasília
Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (11) indica que 63% dos brasileiros apoiam a abertura de um processo de impeachment contra presidente Dilma Rousseff (PT), quando se consideram as revelações feitas até aqui pela Operação Lava Jato.

A pesquisa também mostra que 64% dos entrevistados não acredita que Dilma será afastada em razão denúncias de corrupção da Lava Jato e que menos da metade dos entrevistados sabe que, caso Dilma saia, quem assume é o vice-presidente e que o vice é Michel Temer (PMDB).

A pesquisa Datafolha foi feita entre os dias 9 e 10 de abril com 2.834 entrevistas em 171 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Veja a seguir os resultados da pesquisa, divulgada pelo site da “Folha de S.Paulo”:

Considerando tudo o que se sabe até o momento a respeito da Operação Lava Jato, o Congresso deveria abrir um processo de impeachment para afastar a presidente Dilma da Presidência?
Sim: 63%
– Não: 33%
– Não sabe: 4%

Caso isso ocorra, assume seu lugar:
– O vice (sem citar o nome): 29%
– Michel Temer: 13%
Aécio Neves: 12%
– Outros: 8%
– Não sabe: 39%

Caso isso ocorra, assume seu lugar (entre quem apoia o impeachment):
– O vice (sem citar o nome): 27%
– Michel Temer: 10%
– Aécio Neves: 15%
– Outros: 8%
Não sabe: 40%

Caso isso ocorra, assume seu lugar (entre quem rechaça o impeachment):
– O vice (sem citar o nome): 33%
– Michel Temer: 19%
– Aécio Neves: 5%
– Outros: 9%
Não sabe: 33%

Sabe quem é o vice-presidente?
– Michel Temer: 36%
– Outros: 1%
Não sabe: 63% (ic)

Opinião sobre os protestos contra o governo Dilma
A favor: 75%
– Contra: 19%
– Indiferente: 5%
– Não sabe: 1%

Acha que Dilma vai ser afastada por causa das denúncias de corrupção na Lava Jato?
Sim: 29%
– Não: 64%
– Não sabe: 7%

Sobre a corrupção na Petrobras, você acha que Dilma:
– Sabia e deixou que ocorresse: 57%
– Sabia, mas não poderia evitá-la: 26%
– Não sabia: 12%
– Não soube responder: 5%

Em quem votaria para presidente caso houvesse novas eleições?
– Aécio (PSDB): 33%
Lula (PT): 29%
– Marina Silva (PSB): 13%
– Joaquim Barbosa: 13%
– Outra resposta: 9%
– Não sabe: 3%

 

Datafolha contesta Globo: 210 mil na Paulista

manifestação na paulista

O protesto contra o governo Dilma Rousseff levou 210 mil pessoas para a avenida Paulista, neste domingo (15), segundo o Datafolha. O número se refere à quantidade de pessoas diferentes que, em algum momento do dia, foram à manifestação, e contesta os dados divulgados amplamente pela Globo, baseada na Polícia Militar de São Paulo, que divulgou público estimado em 1 milhão de pessoas.

No horário de pico deste domingo, às 16h, o Datafolha registrou 188 mil pessoas na Paulista. No auge das manifestações de junho de 2013, por exemplo, houve 110 mil manifestantes. Atos não políticos já registraram números maiores, contudo: a Marcha para Jesus levou 335 mil pessoas às ruas em 2012, enquanto a Parada Gay do mesmo ano atraiu 270 mil.

Segundo a PM, sua medição usa “recursos de mapas e georreferenciamento, baseadas nas imagens aéreas colhidas por um dos helicópteros Águias, determinando a extensão principal da manifestação, bem como, a ocupação das ruas adjacentes adotando como parâmetro de cálculo, naquele momento, de 5 pessoas por metro quadrado”.

Postado no Brasil/247