Dama e vagabundo

Dama e vagabundo

Por Vera Lúcia Dal Sasso

dama e vagabundoSonhe
Com pensamentos acompanhe
Delírios de amantes
De corpos navegantes
Situe a embarcação
No mar revolto da excitação
Embale a consciência
Não tenha nenhuma clemência
Apure os sentidos
Enleve gemidos
Não há sentido a inocência
Apenas atos de indecência
Subjugue o anseio
Perca o freio
Não seja prudente
Amante demente
Suspiros e sussurros
Libertinos berros
De gozo profundo
Da dama e do vagabundo