Aécio diz, mas não diz, ser a favor do impeachment de Dilma

Aécio diz, mas não diz, ser a favor do impeachment de Dilma

cunha, aécio e dilma“Acordo determinaria que, após parecer do TCU sobre as contas de 2014 do governo da presidente Dilma Rousseff e as chamadas ‘pedaladas fiscais’, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rejeitaria o pedido de impeachment, mas a oposição, liderada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), apresentaria recurso a ser votado e aprovado, garantindo a votação em plenário; integrantes do DEM e Solidariedade também participaram do acerto, discutido na reunião ocorrida ontem à noite; questionado hoje se o PSDB apoia o impeachment, Aécio respondeu: “A questão não é apoiar o impeachment. O que apoiamos são as investigações. O que defendemos são as nossas instituições””

Título Amorim Sangue Novo, texto e imagem Brasil247 (leia texto completo)

O Caralho-de-Asa

O Caralho-de-Asa

DuvivierPor Amorim Sangue Novo

Não sei se devo classificar o texto abaixo como uma sátira, um comentário humorístico ou uma crônica, porém é de uma inegável e sutil inteligência;

Os termos em inglês, que não me atrevo a traduzir para não macular a “obra”, se encaixam perfeita no contexto.

Gregório Duvivier ainda demonstra excelente conhecimento de história, sem contar que declina diversos apelidos atribuídos ao Satanás (veja outros) e, confesso, não sabia que um deles é o Caralho-de-Asa.

Duvivier: Cunha, o ‘Caralho-de-Asa’

Você conhece. Você confia. Please allow me to introduce myself. My name is Cunha, mas pode me chamar de Cramunhão, de Sete-Pele, Coisa-Ruim, Cão-Tinhoso, Cabrunco, Gota-Serena, Caralho-de-Asa, Sinteco Gelado. Escrevo porque tem uma garotada por aí que está achando que eu vou cair. Mua-ha-há (difícil digitar risada malévola). Meninada, vamos ter uma a aula de história? Eba. Vamos!

Sou muito, mas muito mais antigo do que vocês pensam. Cheguei aqui há uns 500 anos, na primeira chacina de índios batizada de descobrimento. Lembra dos navios negreiros? My bad. Guerra do Paraguai? Sorry about that. Tiradentes? Eu que esquartejei aquele comuna safado. Cabanagem, Sabinada, Balaiada, Canudos, eu que abafei a badernagem toda. Mua-ha-há.

Aí você me pergunta: “Como saber que você é você, príncipe das trevas?”. Dica: não procurem por um rabo pontudo, chifres, pele vermelha. Esse look é muito século 12. Dica: a-do-ro um terno cinzão. Com uma gravata azul-bebê.

Também não tenho partido, muito menos ideologia. Cuidava da polícia política do Vargas ao mesmo tempo em que tocava fogo na favela em nome do Lacerda. 1964? Check. Benário, Herzog, Paiva, Angel, Chico Mendes, Amarildo? Check, check, check. Carandiru? My fucking idea. Candelária? Me, good old me. Meu nome é Legião. Mas não adianta procurar legião no Face. No momento, atendo por outro nome.

(…)

Já protagonizei 20 escândalos de corrupção e não caí. Se vocês acham mesmo que é uma miserinha de US$ 5 milhões que vai me derrubar… Vocês definitivamente não me conhecem.

Publicado originalmente em sua coluna na Folha

Nota do Sem medo da verdade: Gregório Byington Duvivier é um ator, humorista, roteirista e escritor brasileiro. É também um dos criadores do portal de humor Porta dos Fundos e nos chamou a atenção com o post A privada e a bicicleta (veja)