Se o político não quer que falem mal de sua gestão, que não “pise na bola”

Se o político não quer que falem mal de sua gestão, que não “pise na bola”

cargo publicoPor Amorim Sangue Novo

Sempre fui contra se falar mal da vida pessoal de políticos e até já cheguei a fazer matéria sobre o assunto e fazer recriminações em redes sociais, porém, como se sabe, não poupo críticas às suas gestões.

Mês passado estava preparado fazer um comentário sobre a falta de cumprimento por parte de Câmara e prefeituras de algumas cidade, posto que as mesmas não cumprem os artigos 7º e 8º da Lei da Transparência (veja), porém por uma desta esta cidade haver passado por problemas gerados pela natureza e, por isto mesmo não vou revelar o nome, preferi deixar para falar com os gestores maiores desta cidade na terça (29/09), porém, por falta de oportunidade não o fiz e apelei para outro canal o qual, mais sensato, me atendeu de pronto.

Mas o que me causa espanto é que, em sendo jornalista e consequentemente tendo minhas prerrogativas da função e, como cidadão, conhecedor de meus direitos, tenham sido negadas as informações por parte de funcionário, o que será daqueles que não estão totalmente a par de seus direitos e das obrigações destas entidades e servidores.

Pior ainda é que funcionários, normalmente mal informados ou simplesmente “paus mandados”, assim como os gestores, se sujeitam a responder judicialmente, por contrariarem o artigo. 32 desta mesma Lei.

Agora “a Câmara dos Deputados está tentando aprovar projetos de lei que vão intimidar eleitores que criticam os políticos na internet (quem nunca?), violando liberdades individuais, garantias constitucionais e o bom senso.” (veja matéria).

Ora… Vão lamber sabão

Leia também:
Câmaras e prefeituras e entidades devem obedecer a Lei da Transparência >>>