Câmara Federal lança vídeo institucional sobre Presidente Prudente

Veja toda a homenagem da Câmara Federal sobre o centenário de Presidente Prudente

Todos os videos da Câmara, referente aniversário de Presidente Prudente poderão ser vistos aqui >>>

Leia também:
Conheça Presidente Prudente >>>

Evandro Gussi terá a oportunidade de mostrar honestidade e honradez

Tomado de decisões políticas de forma polêmica, o deputado Evandro Gussi se torna corregedor na Câmara Federal e poderá sofrer assédios e propostas descabidas para que não cumpra seu papel de forma justa e coerente.
Quero lembrar aqui que o deputado ao votar a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff citou que “este é o momento de silenciarmos a nossa voz (dos deputados) e o nosso coração e ouvirmos a voz que vem das ruas…” o que fará com que esta posição seja questionada caso ele vote a favor da Reforma da Previdência, como fez ao votar a favor do Projeto de Lei da Terceirização. Evando Gussi também poderá ser questionado sobre o que citou na campanha de 2010 (veja no último vídeo)


Deputado Evandro Gussi é o novo corregedor parlamentar
O deputado Evandro Gussi (PV-SP) assumiu nesta terça (18/4) o cargo de corregedor parlamentar da Câmara dos Deputados. A Corregedoria Parlamentar tem como competência analisar as representações contra deputados federais relacionadas à quebra de decoro parlamentar.
Questionado sobre o momento de crise política decorrente da Operação Lava Jato, em que o comportamento dos parlamentares é alvo de críticas pela sociedade, Gussi fez uma analogia com a queima do cerrado.
“Após uma queimada, o cerrado renasce. É quando o verde volta a brotar. Se a política se encontra arrasada, destruída, é preciso trabalhar para fazê-la renascer”, disse o parlamentar.
Gussi, que é professor de Direito, Filosofia e Política, lembrou que “a dignidade da política precisa ser reconhecida e valorizada. Onde não há política e as instituições não funcionam, sobrevém a guerra”.
Autonomia
O deputado Cláudio Cajado (DEM-BA), que deixou a Corregedoria após cinco meses de atuação, destacou a importância da autonomia conferida pelo Regimento Interno ao órgão.
“Zelar pelo decoro, disciplina interna e acima de tudo permitir que aqui se processem denúncias ligadas à quebra de decoro por deputados federais é uma atividade fundamental neste momento”, afirmou Cajado.
Falsas denúncias
Presente à posse, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, ressaltou que, muitas vezes, a Corregedoria Parlamentar, ao apurar denúncias contra deputados, conclui por tratar-se de calúnias, cujo objetivo é simplesmente denegrir a imagem dos parlamentares.
Para Evandro Gussi, é fundamental apurar denúncias de fato procedentes, “mas é importante também o reconhecimento da dignidade do mandato conferida pelo voto popular”.
A Corregedoria Parlamentar apura denúncias de quebra de decoro por deputados federais apresentadas por cidadãos. Além da devida identificação do denunciante, é necessária a apresentação de provas ou a indicação de onde possam ser obtidas, com vistas à apuração dos fatos.

Dracenenses questionam título a Evandro Gussi

VPR DV Vampiro desafia o Deputado EVANDRO GUSSI baixar o salário

Deputado STF Usurpou Competência Constitucional No Caso Do Aborto

Comissão Especial sobre o Estatuto da Família. Dep. Evandro Gussi (PV-SP)

VOTO DO, DEPUTADO EVANDRO GUSSI, PV, SP, 17 04 2016

A Farsa da Ideologia de Gênero em Defesa da Mulher | Deputado Evandro Gussi

Dep. Evandro Gussi (PV-SP) refuta manifestação sobre o governo Temer

Dep. Evandro Gussi (PV-SP) se solidariza com a manifestação de repúdio à atos da Parada Gay

Dep. Evandro Gussi (PV-SP) vota favorável à MP da reforma do ensino médio

Evandro Gussi – Candidato a Deputado Federal Eleições 2010

Foto do site emtempo.com.br
Observações:
1- Onde cito entrevista que o Temer deu para a Globo, ouça Band
2- Onde cito comentário em 2015 ouça 2016

Leia também: 
Gilberto Kassab e outros cidadãos honorários de Dracena até hoje não vieram receber o título >>>

Curto e grosso, Evandro Gussi diz ser usuário do Uber

Em discurso na Câmara, o deputado Evandro Gussi /PV, disse ser usuário do Uber e que “O PV é a favor de que os taxistas tenham, sim, o seu direito de exercício profissional e é a favor de que o Uber possa, livremente, oferecer os seus serviços e acomodar aquelas pessoas que livremente optam pela plataforma. São adultos e livres o suficiente para, se acharem que é ruim, saírem dela.”

Foto: Câmara Federal
CÂMARA DOS DEPUTADOS – DETAQ
Sessão: 059.3.55.O Hora: 17h26 Fase: OD
Data: 4/4/2017

Sumário

Orientação da respectiva bancada para votação do substitutivo ao Projeto de Lei nº 5.587, de 2016, que trata do transporte individual remunerado e do transporte motorizado privado.

O SR. EVANDRO GUSSI (PV-SP. Pela ordem. Sem revisão do orador) – Sr. Presidente, o substitutivo apresentado pelo Deputado Daniel Coelho conseguiu agradar ao mesmo tempo os motoristas de taxi e os motoristas do Uber. Por um lado, porque garante a liberdade de escolha e, por outro lado, porque garante a regulamentação mínima necessária que credencia esse tipo de serviço.
O PV é a favor da liberdade. O PV é a favor de que os taxistas tenham, sim, o seu direito de exercício profissional e é a favor de que o Uber possa, livremente, oferecer os seus serviços e acomodar aquelas pessoas que livremente optam pela plataforma. São adultos e livres o suficiente para, se acharem que é ruim, saírem dela.
Por isso, votamos “sim”. (Palmas.)

Sumário

Posicionamento contrário da bancada com relação ao destaque do art. 2º da Emenda Substitutiva nº 1 apresentada ao Projeto de Lei nº 5.587, de 2016, que trata do transporte individual remunerado e do transporte motorizado privado.

O SR. EVANDRO GUSSI (PV-SP. Pela ordem e como Líder. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, eu gostaria de pedir a atenção das Sras. Deputadas, dos Srs. Deputados, dos motoristas de Uber que estão aqui e pelo Brasil afora e dos motoristas de taxi que também estão aqui e pelo Brasil afora.
Antes de mais nada, nós devemos desconfiar daqueles que tentam nos dividir, daqueles que tentam dizer que existem dois tipos de brasileiros, os bons e os maus. O maior patrimônio do nosso País é a unidade nacional. Qualquer cidadão se sente tão brasileiro no Sul, no Norte, no Nordeste, no Centro-Oeste ou no Sudeste deste País. Por isso, toda tentativa de divisão entre nós e eles levará a corromper aquilo que temos de mais precioso.
Eu posso falar com grande tranquilidade sobre esse tema, porque uso o táxi e uso o Uber. Vejo a seguinte cena: primeiro, o serviço de táxi – posso falar tanto do serviço em Brasília como, especialmente, em São Paulo – sofreu uma grande revolução nos últimos tempos. As pessoas estão cada vez mais dedicadas, corteses e sérias no cumprimento do seu papel.
Por outro lado, também vimos nascer uma tecnologia revolucionária, que conecta, de maneira direta, as pessoas entre si, em um movimento que une mais do que motorista e passageiro, um movimento que une corações.
Vejo três elementos, e vou votar por eles. Quando entro em um Uber, eu pergunto: faz tempo que o senhor está no Uber? E as pessoas me dizem que faz 2 meses, 3 meses, 1 ano. Aí eu pergunto: e o que senhor está achando? Muitos dizem: “Não vou ficar rico, mas, apesar de estar desempregado, estou conseguindo pagar as minhas contas”. (Palmas nas galerias.) 
Vejo uma segunda categoria de motoristas de Uber, que é a de motoristas que eram funcionários de taxistas e tinham que pagar o aluguel de um táxi. (Palmas nas galerias.) Hoje, eles podem escolher a sua própria vida. No dia em que acharem que não está bom, simplesmente deixarão o aplicativo.
Eu quero fazer referência também aos grandes motoristas de táxi que eu conheço. Às vezes, estou atrasado em São Paulo, e, como o táxi pode ir pelo corredor do ônibus, eu chego mais cedo, ainda que tenha que pagar um pouco mais.
Muitos motoristas de táxi – é por esses também que eu vou votar hoje e orientar a bancada do PV -, homens dignos, mulheres dignas, me disseram: “Senhor, eu estou aqui ganhando o meu pão, com o meu táxi, trabalhando. E eu quero que os motoristas do Uber tenham o mesmo direito”. (Palmas nas galerias.) 
Por essas categorias de pessoas – pelos grandes taxistas e por aqueles que usam da liberdade e estão se utilizando do Uber -, digo que nós não temos o direito de invadir ainda mais a vida dos brasileiros, que clamam por liberdade.
Por isso, o PV vota “não” a esse e aos outros destaques. (Palmas nas galerias.)

Leia também:

Evandro Gussi tem faltas no justificadas na Comissão da Reforma da Previdència
http://semmedodaverdade.com.br/?p=6210