Convenção do PSDB/SP mantém Pedro Tobias na presidência

Além de Pedro Tobias na presidência do partido o PSDB/SP, nomeou o ex-deputado Mauro Bragato como vogal, o qual também é dirigente do partido na região de Presidente Prudente

Foto ilustrativa

“Em clima de festa, tucanos ovacionam Geraldo Alckmin

Cerca de duas mil pessoas participaram da Convenção Estadual do PSDB-SP e lotaram o plenário da Assembleia Legislativa. Dentre os presentes, o governador Geraldo Alckmin, aclamado pré-candidato tucano à Presidência da República, o prefeito João Doria, o senador José Serra, líderes de partidos aliados, secretários de Estado, além de deputados estaduais e federais.

Unanimidade entre os presidentes dos partidos aliados, Alckmin foi dos mais citados. O presidente do PTB-SP, deputado estadual Campos Machado chegou a puxar coro ao som de “Alckmin presidente”.

O presidente do PPS-SP, Arnaldo Jardim, afirmou que enfrentaremos os profetas, “radicais que não sabem como construir políticas públicas”, disse.

Para o prefeito João Doria, esta foi a convenção da pacificação e da união. “De São Paulo sairá a força para vencer as eleições no Brasil”, afirmou, relacionando os exemplos éticos e de gestão das lideranças paulistas do PSDB.

Segundo o secretário Geral do PSDB Nacional, deputado Silvio Torres, a convenção paulista representará o primeiro passo para eleger Alckmin presidente em 2018.

O senador José Serra lembrou que em 2018 o PSDB fará 30 anos e que o partido deve comemorar e ter orgulho de sua história.

O presidente estadual do PSDB-SP, dep. Pedro Tobias, hoje novamente reconduzido ao cargo para um mandato de mais dois anos, afirmou ter uma avaliação pessimista da situação do PSDB hoje e insistiu em medidas saneadoras: afastamento do governo Michel Temer para que o partido volte a ouvias as ruas, ter a coragem de fazer um bom diagnóstico e criar um plano de ação para o partido e a unificação partidária. “Na minha opinião, o único nome capaz de unificar o PSDB hoje é Geraldo Alckmin”, disse e dirigindo-se ao governador afirmou: “A sociedade precisa disso, o partido precisa de você”, concluiu.

Sob o coro de “Geraldo” e mãos erguidas em palmas, Alckmin foi ovacionado pela platéia. Afirmou ter aprendido há anos que partidos se fazem com bandeiras e propostas, mas também é feito pelas mãos que empunham essas bandeiras. “Nós, militantes, é que fazemos a diferença”.

Alckmin relembrou a formação do PSDB em 1988 ressaltando a coragem daqueles que, para fundar a Social Democracia Brasileira, deixaram o PMDB. “Foi preciso coragem, muitos não se reelegeram, perderam suas bases. Corremos todos os riscos para fundar um novo partido”, explicou.

O governador ressaltou o propósito de tantas falas a respeito da unificação partidária. “Para que precisamos estar unidos?”, indagou para responder logo em seguida: “Para mudar o Brasil!! É Essa deve ser a nossa bandeira. Essa é a ordem de coragem do PSDB. Precisamos voltar às nossas origens, à razão de ser do PSDB. Vamos correr todos os riscos!”, afirmou.

“É hora de aventurar, de ir ao encontro do povo”, concluiu.”

Veja como ficou a composição da nova Executiva:
Presidente: Dep. Pedro Tobias
1º Vice-Presidente: Dep. Miguel Haddad
2º Vice-Presidente: Duarte Nogueira
3º Vice-Presidente:Evandro Losacco
Secretário Geral: César Gontijo
1º Secretário: Ademir Cleto
Tesoureiro: Pedro Guerra
Tesoureiro Adjunto: Victor Ferreira
Líder da Bancada: Dep. Roberto Massafera
Líder do Governo: Dep. Barros Munhoz

Vogais:
Floriano Pesaro
Guilherme Ávila
Ramalho da Construção
Fernando Fernandes
Paulo Mathias
Carlos Balotta
Ieda Areias
Elisa Lucas
Eduardo Balotta
Célia Leão
João Guariba
Mauro Bragato
Paulo Serra
Cecé Priosti
Fred Guidoni

Da redação com Tucano.Org – Na foto da ALESP: Deputados Pedro Tobias, Mauro Bragato, ambos do PSDB e Celso Nascimento (PSC).

A importância de Bragato para a região prudentina

Matéria do CGN mostra que o, então deputado Mauro Bragato, foi o que obteve o maior número de emendas aprovadas o que, evidentemente, vêm de encontro às necessidades dos municípios da região de Presidente Prudente.

Na foto arquivo do Panô City, Bragato, Nedécio de Lazari (vice-prefeito de Tupi Paulista) e Alckmin

”(…)
Quando consideramos a taxa de aproveitamento dos projetos, o governador do Estado assume destacada diferença frente aos demais, com 91% de suas propostas aprovadas. É seguido pelos deputados do mesmo partido (PSDB) Mauro Bragato, que obteve aprovação de 36% de suas propostas, e Fernando Capez, com 23% de aprovação.” É citado na matéria.

Papo reto e afiado – 28/02/17

Relator do Acórdão Condenatório reconheceu que não houve dolo na conduta de Mauro Bragato quando foi prefeito de Presidente Prudente e que também não houve benefício de ordem pessoal

Na foto ilustrativa, Bragato, Dimas e o poeta Paulo Bomfim chefe de gabinete da Presidência, em 18/02/16

“A jornalista Mônica Bergamo revelou em sua coluna, na Folha de São Paulo do dia 14 de janeiro de 2017 (veja), que o desembargador Dimas Borelli Thomaz, do Tribunal de Justiça de São Paulo, ganha R$ 92 mil por mês, ou seja “possui ganhos acima do teto constitucional de R$ 33.7 mil.

Foi ele o relator do Acórdão Condenatório que afastou o deputado Mauro Bragato de seu mandato na Assembleia Legislativa, bem como suspendeu os direitos políticos do parlamentar por 5 anos. Em seu acórdão, apesar de reconhecer que não houve dolo na conduta de Bragato quando foi prefeito de Presidente Prudente e que também não houve benefício de ordem pessoal, aplicou a pena máxima – de perda de mandato e de direitos políticos – indo inclusive contra o que diz a LIA – Lei de Improbidade Administrativa.

Ainda pontificou no acórdão, que Bragato, enquanto prefeito, deveria ter prestado atenção nos atos da Comissão de Licitações da Prefeitura de Presidente Prudente.

Como se vê, o desembargador se utiliza de dois pesos e duas medidas. Para um funcionário público que deve ganhar mais de R$ 1 milhão por ano, Borelli Thomaz não se mostra “compatível com os primados da moralidade, da proporcionalidade, da razoabilidade e da economicidade”. Um primor. Um verdadeiro Marajá do Brasil!

Chibata nas galés e na senzala. Assim é a Cabana do Pai Tomás.”

“O julgamento sobre a moralidade e a razoabilidade dos salários serve apenas para o Legislativo? E o caso do desembargador que vetou o reajuste dos vereadores paulistanos, ganhando R$ 92 mil?” (Blog do PPS – Partido Popular Socialista)

“Chego tarde, aos 56 anos, mas ainda com ímpeto de muito fazer pela Justiça de nosso país. Eis o momento para refletirmos sobre essa longa caminhada, que já dura mais de 25 anos, quando ingressei na magistratura” (desembargador Dimas Borelli Thomaz Júnior quando de sua posse em 2009)

OBSERVAÇÃO:
Os não assinantes da Folha poderão ver a matéria neste site clicando aqui >>>

Veja também:
Salário de Sérgio Moro superou R$ 117 mil em dezembro/18 >>>
Visitas recebidas no TJSP >>>