Na “zona” dos iguais mais iguais Huck e Angélica são privilegiados

Na “zona” dos iguais mais iguais Huck e Angélica são privilegiados

angelifca e huckPor Amorim Sangue Novo

Comentar a matéria abaixo seria uma mera redundância diante do que, enquanto jornalista, tenho visto nos postos de saúde destes Brasis varonis, portanto a única coisa que posso afirmar é que a o artigo quinto da Constituição é bem claro: “Todos são iguais perante a Lei”.

De qualquer maneira e, pra não perder o “pique”, lembro que este país está, como se diz popularmente, virando uma “zona”.

E que não se coloque aí a culpa no sistema SUS, mas nos governos municiais, os quais privilegiam “os iguais mais iguais”, incluindo aí a Rede Globo que notícias deste tipo não divulga, isentando o casal de ter usado (quem sabe) de influência, uma vez que o Luciano Huck citou em entrevista que o hospital estava superlotado, mas que, ao casal, foi dispensada toda a atenção.

Hospital que atendeu Angélica negou leitos para pacientes trazidos pelo SAMU

A Santa Casa de Campo Grande, para onde a família de Angélica e Luciano Huck foi levada após o avião em que viajavam ter feito um pouso forçado nas imediações da capital do Mato Grosso do Sul, negou leitos para sete pacientes atendidos nos últimos dias pelo Serviço de Atendimento Movél de Urgência (SAMU). Segundo o coordenador do SAMU de Campo Grande, Eduardo Cury, os pacientes estão recebendo atendimento na Unidade de Pronto Atendimento da prefeitura da cidade, que não possui aparelhos básicos, como respirador artificial. “A Santa Casa disse que não tem condições de receber nossos pacientes, que são encaminhados pelo SUS. Gostaria muito que essas autoridades que viabilizaram o atendimento do Huck e da Angélica tivessem o mesmo interesse pelos outros pacientes”, afirma Cury. A família Huck foi atendida pelo Sistema Único de Saúde.

Segundo o médico, a apresentadora chegou a ser direcionada para a unidade de tratamento intensivo (UTI), que contava com respirador, para fazer os exames de praxe. Angélica ainda está em observação na unidade, enquanto Luciano Huck, seus filhos e duas babás já estão liberados.

Cury argumenta que há uma pactuação ampla entre o hospital e o Sistema Único que prevê, inclusive, compra de leitos em casos muito graves. Segundo o coordenador do SAMU, houve uma tentativa de compra de leitos para os sete pacientes que precisam de atendimento hospitalar, mas a Santa Casa também negou. “O hospital é obrigado a atender pacientes graves e, depois, discute-se os custos que vão incorrer. E foi isso que tentamos fazer, sem sucesso”, disse.

alx_comunicado_original 2Comunicado do SAMU: não há leitos para transferência(VEJA.com/Reprodução)

O piloto Osmar Vaz, da MS Táxi Aéreo, recebeu os primeiros socorros na Unidade de Pronto Atendimento do município, após ter sido retirado da área de pouso da aeronave e transportado em helicóptero fretado pela empresa. Segundo Cury, o piloto sofreu leves escoriações e não requeria atendimento hospitalar na Santa Casa. Vaz, contudo, foi levado ao hospital para atendimento junto com os demais envolvidos no acidente, a pedido do Secretário de Saúde do Estado, Nelson Tavares. O transporte de Vaz do pronto-socorro à Santa Casa foi feito pessoalmente pelo Secretário. “Tínhamos atendimentos muito mais graves que requeriam ambulância e não podíamos disponibilizar uma unidade para transportar o piloto. Por isso negamos o pedido de transporte feito pelo Secretário”, afirmou o coordenador do SAMU.

Acidente – A família dos apresentadores Luciano Huck e Angélica sofreu um acidente na manhã deste domingo. A aeronave de pequeno porte que transportava o casal, seus três filhos, duas babás, o piloto e o co-piloto, fez um pouso forçado próximo à rodovia MS 080 na fazenda Palmeiras, em Rochedo (a 30km de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul).

A razão do pouso forçado foi uma pane no motor da aeronave 820-C, matrícula PT-ENM, da Embraer. Durante a aterrissagem, o piloto teve de desviar de um rebanho de gado.

O casal voltava da Estância Caiman, em Bonito, e seguia para Campo Grande. Angélica foi para o Pantanal para gravar o programa Estrelas. No episódio, recebeu os proprietários dos restaurantes Dona Onça e Attimo, que preparam suas especialidades. Huck foi ao encontro da mulher e retornava com eles no avião.

Segundo informações consultadas no site da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a aeronave, com matrícula PTENM, estava com a certificação em dia, válida até junho de 2019.

Publicado na Revista Veja

Leia também:
Coordenador do SAMU se revolta: “Uma paciente infartou, fecharam a CTI cardíaca para colocar a família Global” >>>