Já não se faz amor como antigamente

Já não se faz amor como antigamente
O filme é dividido em três episódios – 1) Oh! Dúvida Cruel – Pai desconfia que seu filho é gay – 2) O Noivo – Homem está prestes a se casar, mas não sabe quem é a noiva – 3) Flor de Lys – Milionário quer saber quem é o amante de sua esposa.
Direção: Anselmo Duarte, John Herbert e Adriano Stuart – Produção

Sessão de domingo – Já não se faz amor como antigamente

já não se faz amor como antigamenteO filme é dividido em três episódios – 1) Oh! Dúvida Cruel – Pai desconfia que seu filho é gay – 2) O Noivo – Homem está prestes a se casar, mas não sabe quem é a noiva – 3) Flor de Lys – Milionário quer saber quem é o amante de sua esposa — Direção: Anselmo Duarte, John Herbert e Adriano Stuart

Para entender uma mulher

imagesPara entender uma mulher
é preciso mais que deitar-se com ela…

Há de se ter mais sonhos e cartas na mesa
que se possa prever nossa vã pretensão…
Para possuir uma mulher
é preciso mais do que fazê-la sentir-se em êxtase
numa cama, em uma seda, com toda viril possibilidade…

Há de se conseguir
fazê-la sorrir antes do próximo encontro
Para conhecer uma mulher, mais que em seu orgasmo, t
em de ser mais que amante perfeito…

Há de se ter o jeito certo ao sair, e fazer da saudade e das lembranças, todo sorriso…
– O potente, o amante, o homem viril, são homens bons…
bons homens de abraços e passos firmes…
bons homens pra se contar histórias…

Há, porém, o homem certo,
de todo instante: O de depois!

Para conquistar uma mulher,
mais que ser este amante, há de se querer o amanhã,
e depois do amor um silêncio de cumplicidade…
e mostrar que o que se quis é menor do que o que não se deve perder.

É esperar amanhecer, e nem lembrar do relógio ou café…
Há que ser mulher, por um triz e, então, ser feliz!

Para amar uma mulher, mais que entendê-la,
mais que conhecê-la, mais que possuí-la,
é preciso honrar a obra de Deus, e merecer um sorriso escondido, e também
ser possuído e, ainda assim, também ser viril…

Para amar uma mulher, mais que tentar conquistá-la,
há de ser conquistado… todo tomado e, com um pouco de sorte, também ser
amado!”

Carlos Drumond de Andrade

Imagem: Flickr