“Temer está pagando muito dinheiro para deputados e senadores”

Temer libera R$ 4,2 bilhões em emendas. Bolsonaro e Aécio encabeçam a lista

“ESCANDALO! Bolsonaro recebe R$ 18,4 milhões para proteger Michel Temer e atacar o PT! Assista e compartilhe…

Jair Bolsonaro usa seus milhões de seguidores nas redes sociais para atacar Lula e o PT. Enquanto isso, o próprio “mito” mantém-se mudo em relação às acusações de corrupção contra o “Temeroso”. Em troca, o governo abriu o caixa e jogou milhões de reais nas mãos do deputado que sonha ser presidente da república

A máscara de “paladino da moralidade” que Jair Bolsonaro (PSC-RJ) criou para si mesmo está cada vez mais em xeque. Após calar vergonhosamente em relação aos escabrosos escândalos de Aécio Neves e PSDB, o “mito” da incoerência agora recebeu nada mais nada menos que R$ 18,4 milhões em emendas parlamentares, dinheiro oriundo do caixa do desgoverno Michel Temer (PMB).

De todos os parlamentares, ele foi o que recebeu a quantia maior. Aécio Neves (PSDB) ficou em segundo lugar. Ao todo, o ilegítimo liberou R$ 4,2 bilhões apenas em junho. Informação é do Brasil 247.

No esclarecedor vídeo a seguir, Leonardo Stoppa, colunista da TV 247, explica muito bem por que Michel Temer deu tanto dinheiro a Bolsonaro. É algo humilhante para os seguidores do “mito”, pois, segundo Stoppa, o deputado usa seus fãs para atacar Lula e o PT, e poupar o “Temeroso”, acusado de corrupção.

Ou seja, na prática o colunista diz que Bolsonaro acoberta corruptos, vende seus milhões de seguidores e fica com o dinheiro para aplicar politicamente em benefício eleitoral próprio. Que coisa feia, para um homem que se diz tão honesto e contra picaretagens dos políticos! Na verdade, por dinheiro, Bolsonaro se comporta como a muleta do Temer, para não deixar o ilegítimo cair.

Assista:
Deputado vende seguidores

Da redação com Dever de Classe e Blasting News – Foto: Papo TV

 

Veja também:
BOLSONARO DETONA TEMER E DIZ PRA ELE TOMAR VERGONHA NA CARA E VIRAR HOMEM

Mineirinho entra na “suruba”!

No Baile da Ilha Fiscal do Treme-I, o mais chato se pendura no FHC

Já se ​(sic)​ passava da meia-noite desta quarta-feira (8) quando o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), definiu o pensamento de grande parte da classe política do país diante da Operação Lava Jato:

“Todo mundo vai ficar no mesmo bolo e abriremos espaço para um salvador da pátria? Não, é preciso salvar a política”, afirmou o tucano sentado a uma mesa de oito lugares no Piantella (no Baile da Ilha Fiscal do Treme-I – PHA)​, restaurante reduto de políticos em Brasília.

“Um cara que ganhou dinheiro na Petrobras não pode ser considerado a mesma coisa que aquele que ganhou cem pratas para se eleger”, continuou Aécio, em defesa da tese de que caixa dois para financiar campanhas eleitorais deve ser diferenciado do crime praticado por quem obteve recursos para enriquecer pessoalmente.

O discurso fazia eco à recente nota do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ​- leia “como FHC distingue Genoino dos larápios?​que, em defesa do próprio tucano, afirmou que era importante fazer “distinções” entre quem recebeu recursos de caixa dois e quem obteve dinheiro para enriquecer.

​(…)

​Aécio chegou pouco depois das 22 h, logo após a saída do presidente Michel Temer, a um jantar em homenagem aos 50 anos de profissão do jornalista e blogueiro de “O Globo”, Ricardo Noblat, que reuniu ministros, ex-ministros e parlamentares de todos os matizes.

“Vamos nos autoexterminar?”, questionou Aécio em referência à disputa entre partidos diante das denúncias vazadas de dezenas de delações firmadas entre empresários, políticos e agentes públicos com a força-tarefa da Lava Jato.

“É preciso salvar a política. Não podemos deixar que tudo se misture”, completou o tucano. ​(…)​

Em tempo: a “suruba” do titulo é a do Jucá, o Caju, da lista de alcunhas da Odebrecht. E não a outra, mais vulgar. Um pouco mais vulgar… – PHA

Postado originalmente no Conversa Afiada