Alex Jones chora ao noticiar a situação caótica do Brasil

O radialista americano Alex Jones chora ao noticiar a situação caótica do Brasil

Saiba quem é Alex Jones clicando aqui >>>

Amorim dá aula de política na Globo

Vejam as caras de “sem saída” que ficaram os entrevistadores, que preferiram encerrar a entrevista, uma vez que o Amorim não falou o que eles queriam ouvir, ou seja, a “detonação” do PT e o elogio a outros partidos.

Amorim ainda mostrou a porcentagem real dos anti’s-PT nas ruas durante a manifestação do dia 15 de março.

OBS:. Este artigo já foi publicado em 15/04/17 aqui mesmo neste site

Crise ou oportunidade?

“A crise assusta, mas os sábios conseguem competências para andar entre as diversas formas amedrontadoras e a partir disso mudar o seu território”

Por Aguinaldo Adelino Carvalho

“Ainda é comum nas conversas informais, na mídia impressa e televisiva, e nas redes sociais o pronunciamento exaustivo da palavra crise.

Segundo o dicionário etimológico online a palavra crise vem do grego krisis que era usada pelos médicos com o sentido, que após o paciente receber a medicação, entrava em crise, ou seja, haveria um desfecho – a cura ou a morte do indivíduo.

Partindo deste pressuposto devemos enxergar possibilidades para encarar a crise…

É fato que algumas coisas nos impossibilitam a ação, pois se necessita de um mínimo de condições de sustentação da vida para mantermos a saúde física e mental, numa verdadeira homeostase.

Porém se estamos numa conjuntura em que exista uma situação básica de manutenção das condições humanas, podemos encarar a crise como uma mola propulsora para novas possibilidades inventivas que podem revolucionar a vida pessoal como também a social.

Se olharmos para o passado recente veremos pessoas que na crise tornaram senhores de seu destino, transformando a realidade a sua volta, como por exemplo:

Abraham Lincon, um dos mais famosos presidentes do EUA, quando jovem faliu sua pequena loja, acumulando uma enorme dívida, todavia isso não o deixou prostrado sem ação. Resolveu partir para o movimento de ressignificação existencial, e conseguindo transformar a sua história e a de seu país.

Com isso podemos construir uma visão diferenciada para não ficarmos inertes e estarrecidos com a realidade que nos rodeia. Na verdade somos grandemente responsáveis pelo nosso destino.

Devemos fazer as escolhas, ou seja, mexer-se em direção para a conquista de nossos objetivos, mesmo que isso possa causar alguma dor. A resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas a, adaptar-se as mudanças, superar obstáculos e resistir a pressão de situações adversas. Com isso, encontrar soluções estratégicas para enfrentar e superar as adversidades.

Então como bom brasileiro, “chacoalhe a poeira e dê a volta por cima e não desista nunca”. Conquiste a atitude de esperançar, sonhar, buscar e agir, deixando de lado o ato de ficar a espera. Mude a realidade a sua volta.

A crise assusta, mas os sábios conseguem competências para andar entre as diversas formas amedrontadoras e a partir disso mudar o seu território.”

Morador em Flórida Paulista, Aguinaldo Carvalho é formado em Letras pela Unifadra