EXCLUSIVO – Programa “Criança Feliz” beneficiará Dracena e região

O programa “Criança Feliz” (veja) anunciado hoje, (10/03), pelo Governador Geraldo Alckmin irá beneficiar cidades da Drads Dracena e Drads Marília

Imagem ilustrativa

Drads Dracena
Dracena, Ouro Verde Panorama e Paulicéia

Drads Marília  
Assis, Ibirarema, Garça, Cândido Mota, Maracaí, Quatá, Paraguaçu Paulista e Vera Cruz

Leia também:
Governador Alckmin recebe o programa “Criança Feliz” >>>

 

Governador Alckmin recebe o programa “Criança Feliz”

Programa do Governo Federal tem o objetivo de promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância

Imagem ilustrativa

O governador Geraldo Alckmin e a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Lu Alckmin participaram nesta sexta-feira, 10, do lançamento do programa “Criança Feliz” no Estado de São Paulo. O evento contou com a presença do ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, do ministro da Saúde, Ricardo Barros e do secretário de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo, Floriano Pesaro.

O programa do Governo Federal tem o objetivo de promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, ao considerar sua família e seu contexto de vida. No Estado de São Paulo, 220 municípios participarão do projeto, que deve atender cerca de 40 mil gestantes e crianças de 0 a 6 anos de idade.

“Nós vamos trabalhar juntos, governo estadual, federal e municipal. Capacitaremos nossos visitadores, que irão de família em família em situações de vulnerabilidade, priorizando a primeira infância”, afirmou o governador Geraldo Alckmin. “Eles farão o diagnóstico e o encaminhamento de demandas com a visão para habitação, saneamento, programas de geração de renda, saúde e educação”, afirmou.

Participarão do programa gestantes, crianças de até três anos e suas famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família; crianças de até seis anos beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada e suas famílias; e crianças de até seis anos afastadas do convívio familiar em razão da aplicação de medida de proteção.

A ideia é qualificar e incentivar o atendimento e o acompanhamento nos serviços socioassistenciais; estimular o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, em situação de vulnerabilidade e risco social; desenvolver ações de capacitação e educação permanente que abordem especificidades, cuidados e atenções a gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias.

A Assistência Social é uma das políticas que integra o “Criança Feliz”, que é um programa intersetorial. A participação fortalece atenções já desenvolvidas no âmbito do SUAS (Sistema Único de Assistência Social) às gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias, aprimora ofertas existentes no âmbito da Proteção Social Básica e da Proteção Social Especial.

Secretaria de Desenvolvimento Social – Assessoria de Imprensa

Justiça aprova Vale-Creche de 900 reais para filhos adultos de Procuradores

Vale-creche para filhos adultos é inconcebível e chega a ser o absurdos dos absurdos

Sexta-feira, (18/11/16), em meio ao caos financeiro do Estado do Rio, o G1 noticiou que a Procuradoria Geral do Estado (PGE), ampliou o auxílio-creche para os dependentes de procuradores, que era dado aos que tivessem entre 6 meses e 6 anos de idade, passando a valer para estudantes de até 24 anos completos.

“A atualização da proposta foi publicada no Diário Oficial do Estado no último dia 11 e leva a assinatura da então procuradora-geral do Estado, Lúcia Léa Guimarães Tavares, em seus últimos dias à frente da PGE: ela se aposentou e deixou o cargo três dias depois”, diz a notícia.

O novo procurador diz que revogará o benefício que, no texto, mistura auxílio-creche com auxílio-educação e acaba por revelar como estas franquias vão se expandindo do razoável ao absurdo, em pouquíssimo tempo.

Em fevereiro de 2012, foi concedido “pagamento de mensalidade de creche ou estabelecimento de ensino” a ” filho, enteado ou menor sob a guarda ou tutela com idade entre seis meses e 06 (seis) anos completos” a procuradores, comissionados e servidores de apoio da Procuradoria Geral do Estado, pela Resolução PGE Nº 3.082.

Um ano e meio depois, outra resolução, a de Nº 3.447, estende este benefício para até 18 anos, na base do “onde se lia, leia-se”.

E, agora, como nova resolução “esticou” de novo a bolsa de R$ 900 para filhos ou dependentes de até 24 anos, o “mico” de auxílio-creche – propósito original do benefício – para adultos vem à tona. Ou seja, um benefício justo para a jovem mãe trabalhadora vira um privilégio para toda a vida dos filhos, até a faculdade e, quem sabe, o concurso para ser também procurador.

E o que seria justo, sobretudo para os servidores mais modestos, vira odioso.

Isso, no momento em que os servidores estaduais recebem atrasado, têm seu 13° parcelado em sete vezes e sobrem a ameaça de terem suas aposentadorias saqueadas é, convenha-se, o fim da picada.

E uma demonstração de egoísmo inadmissível daqueles que, justamente pela função, têm o dever de tutelar os interesses da administração pública que, em tese, defendem.