A quem interessa sangrar a presidenta?

charge-caruso-globo-dilma

Protestar é da democracia. O que não faz sentido é aqueles que lutaram contra a ditadura adotarem agora a agenda da direita, recuperarem Carlos Lacerda e investirem numa estratégia golpista

O povo brasileiro reelegeu Dilma Rousseff em eleições limpas, por maioria, segundo as regras constitucionais. Dilma disputou as eleições legitimamente, apoiada numa coligação de partidos e representando um projeto de governo caracterizado pela ideia de mais mudanças — um programa que foi aprovado nas urnas pela população.

Às vésperas da eleição, uma revista semanal publicou uma calúnia contra a presidenta, falsa e sensacionalista, numa tentativa de fortalecer o movimento de golpe. A referida calúnia se comprovou agora, quando Procuradoria Geral da República e Supremo Tribunal Federal confirmam que não há qualquer acusação contra a presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas investigações em curso.

Confirmada a vitória de Dilma, um dos partidos de oposição pediu recontagem dos votos, sem nada mostrar de concreto que pudesse diminuir o processo eleitoral. Depois disso, partidos de oposição, alguns dos quais foram às ruas anos atrás lutar por eleições diretas, hoje namoram a direita neste País. Em trinta anos, trocaram a Diretas Já pela Direita Já. A direita que quer fazer a ruptura democrática; a direita que quer o golpe; a direita que não tem proposta. A direita que tem como única proposta criar um impasse neste País.

Essa postura e esse discurso ressuscitam Carlos Lacerda quando o ex-governador da Guanabara dizia, referindo-se ao adversário Getúlio Vargas: “Não deve ser candidato à presidência. Candidato, não deve ser eleito. Eleito, não deve tomar posse. Empossado, devemos impedi-lo de governar.”

Foi o que fizeram com Getúlio Vargas e também com João Goulart. E alguns democratas, que, há 30, 40 ou 50 anos se insurgiram contra a ditadura, hoje não hesitam em dizer que seu objetivo é sangrar a presidenta da República.

Como antes, é preciso resistir. Resistir ao golpe e às investidas daqueles que não têm compromisso com o processo democrático. Nós vamos continuar a governar este país para continuar a gerar emprego, como estamos fazendo. Estamos governando este país para distribuir renda. Estamos governando este país para levar os jovens à universidade. Estamos governando este país para levar mais médicos a quem precisa. Como disse Bresser-Pereira, eles têm ódio do PT porque o PT defende os pobres. Como destacaram Luiz Fernando Veríssimo e Juca Kfouri, eles têm ódio das mudanças neste país.

No último domingo, houve um protesto com panelas. Não de brasileiros com panelas vazias, mas daqueles que têm as panelas cheias. Eles podem protestar, é da democracia. O que não faz sentido é serem seletivos nos argumentos. A esses, não interessa a lista de investigados da Lava Jato, o “nada consta” sobre a presidenta Dilma, a independência da Polícia Federal e da Procuradoria Geral da República, o fato de a presidenta ter afastado da Petrobras os diretores suspeitos de cometer ilícitos. O que não faz sentido é os mesmos democratas que lutaram contra a ditadura adotarem agora a agenda da direita, recuperarem Carlos Lacerda e investirem numa estratégia golpista.

Chamamos para o diálogo a oposição. Dialoguemos numa agenda de reforma política, desenvolvimento econômico e equilíbrio social, porque essas são bandeiras da presidenta Dilma Rousseff e daqueles que sustentam seu governo. Mas não vamos aceitar essa via da ruptura democrática, a via do golpe, a via daqueles que não querem deixar governar para criar um impasse. Não sangrarão a presidenta Dilma Rousseff. O povo que votou nela no dia 5 de outubro e, depois, no dia 26 de outubro, estará nas ruas na defesa da presidenta.

Não é no impasse que nós vamos governar este país. Governaremos este país no debate elevado de propostas políticas, cuja existência não vejo na oposição, no debate elevado do combate à corrupção e da punição dos responsáveis. Para continuar aprofundando a democracia brasileira.

Postado  por Paulo Teixeira no Brasil247 – Imagem O Globo

Convite da AMNAP

Ofício/Circular nº 007/2015/AMNAP

Adamantina, 20 de fevereiro de 2015.

A Sua Senhoria o(a) Senhor(a)
MAURO BRAGATO
Deputado Estadual em São Paulo

Assunto: Convite

Senhor(a) Deputado(a),

A ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA NOVA ALTA PAULISTA – AMNAP, através do Presidente Ivo Francisco dos Santos Junior e do Presidente Eleito Hélio Aparecido Mendes Furini (Gestão 2015), convida Vossa Excelência para a Assembleia Geral Extraordinária de Posse da Nova Diretoria da AMNAP.

Dia: 14 de março – SÁBADO
Horário: 09h30
Endereço: Rua Luis Chignoli, nº 690 – Auditório Ikeda (na altura do Cristo)
Cidade: Junqueirópolis – SP

Na certeza de contarmos com sua presença, renovamos os protestos de apreço e consideração.

Atenciosamente,

IVO FRANCISCO DOS SANTOS JUNIOR Prefeito do Município de Adamantina Presidente da AMNAP
HÉLIO APARECIDO MENDES FURINI
Prefeito do Município de Junqueirópolis
Presidente Eleito – Gestão 2015

* Confirmar presença com o Sr. Daniel Ramos, através do telefone (18) 3522-9186 ou e-mail amnap.31cidades@gmail.com.

Avenida Vitório Romanini, 204 – Vila Cicma – Telefone: (18) 3522-9186
Adamantina – SP CEP: 17800-000
amnap.31cidades@gmail.com

Foto de Francisco Torturello.

 

/

Você é o “peão” e não vai dar o xeque-mate

tabuleiro-xadrez-vertical

Por amorim Sangue Novo

Aécio anuncia apoio às manifestações, mas…

O presidente nacional do PSDB, Aécio Neves disse em entrevista coletiva que apóia as manifestações anunciadas para o dia 15 deste mês, porém não estará presente.

Claro que Aécio e outros caciques do PSDB e de outros partidos não irão se juntar ao povo, por que quem vai pra linha de frente é peão, enquanto rainha, rei, bispos, etc. ficam em seus “castelos, esperando o resultado.

Alguns deles até com as malas feitas e aviões de plantão para uma possível “fuga” do país. Vejam que a própria Dilma, assim como alguns agitadores (leia), quando de sua última candidatura disse manter, e mantém, uma reserva em dinheiro para uma emergência qualquer.

https://www.youtube.com/watch?v=McopWveGxcc

Aécio apóia, mas, de novo, não vai ao protesto

Assim como em dezembro do ano passado, quando divulgou um vídeo convocando protestos contra a presidente Dilma Rousseff, mas não foi (estava em Santa Catarina, na praia), o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, anunciou nesta quarta-feira, 11, que não irá participar das manifestações de domingo; “Exatamente para não dar força a esse discurso de que nós estamos vivendo o terceiro turno no Brasil. O PSDB estará nas ruas através dos seus militantes, mas sem o apoio institucional do seu presidente”, disse; Aécio afirmou ainda que a presidente Dilma Rousseff esteja “sitiada” e reagiu com ironia às críticas do PT de que o panelaço contra o pronunciamento da presidente tenha sido apoiado pela oposição ao governo; “Não conseguiríamos comprar tantas panelas para atender a tantos brasileiros”

Leia matéria completa no Brasil/247

http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/172897/A%C3%A9cio-apoia-mas-de-novo-n%C3%A3o-vai-ao-protesto.htm