O senador neotucano Eduardo Amorim (PSBD-SE), que recentemente se integrou ao partido, oriundo do PSC, apesar de pertencer da base aliada ao governo Temer, deu voto contrário à matéria na comissão da reforma trabalhista nesta terça, 20.

Painel de votação

Apesar de pertencer À agremiação tucana o senador pode ter sido o principal voto que deu a vitória aos trabalhadores, uma vez que na comissão o resultado foi de 10 votos contra e 09 a favor da reforma.

Outro que, honrou o nome dos políticos nordestinos foi o senador Hélio José (PDMB), que, na ausência de Sérgio Petecão (PSD-AC) o substituiu e votou contra

Já o senador Hélio José, apesar de integrar o PMDB, também posicionou-se contrariamente.

Veja como votaram os senadores: 
Ângela Portela (PDT) – Não 
Humberto Costa (PT) – Não 
Paulo Paim (PT) – Não 
Paulo Rocha (PT) – Não 
Regina Sousa (PT) – Não 
Eduardo Amorim (PSDB) – Não 
Hélio José (PMDB) – Não 
Lídice da Mata (PSB) – Não 
Randolfe Rodrigues (REDE) – Não 
Otto Alencar (PSD) – Não 
Waldermir Moka (PMDB) – Sim 
Elmano Férrer (PMDB) – Sim 
Airton Sandoval (PMDB) – Sim 
Cidinho Santos (PR) – Sim 
Vicentinho Alves (PR) – Sim 
Dalirio Beber (PSDB) – Sim
Flexa Ribeiro (PSDB) – Sim 
Ricardo Ferraço (PSDB) – Sim 
Ana Amélia (PP) – Sim

Publicado em por Amorim Sangue Novo | Deixar um comentário

“Vá rasgar a CLT lá em Santander, na Alemanha!” diz PHA após relatório da reforma trabalhista não “passar” no Senado

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado rejeitou nesta terça (20), por 10 votos a 9, o relatório da reforma trabalhista elaborado pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), que era favorável ao texto aprovado pela Câmara.

No lugar do parecer de Ferraço, a comissão aprovou um texto alternativo, do senador oposicionista Paulo Paim (PT-RS). O relatório de Paim recomenda a rejeição integral da reforma.

O resultado representa uma derrota para o governo Michel Temer, que vê na reforma trabalhista uma das principais medidas para a área econômica.

Apesar de o texto do governo ter sido rejeitado na Comissão de Assuntos Sociais, a reforma trabalhista ainda vai passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, por fim, pelo plenário do Senado.

(…)

Em tempo: votaram a favor dos trabalhadores (contra a reforma):
1 – Hélio José
2 –  Otto Alencar
3 – Eduardo Amorim
4 – Lídice da Mata
5 – Randolfe Rodrigues
6 – Ângela Portela
7 – Humberto Costa
8 – Regina Souza
9 – Paulo Paim
10- Paulo Rocha

Embora a Senadora Vanessa tenha votado, não teve o voto computado por ser suplente na Comissão de Assuntos Sociais.

Da redação com Conversa Afiada

Publicado em por Amorim Sangue Novo | Deixar um comentário

Temer diz não ser chefe de quadrilha mas cheque e destinação do dinheiro mostra justamente o contrário 

Publicado em por Amorim Sangue Novo | Deixar um comentário