Funcionário da Câmara solta ratos no depoimento de Vaccari

RATOS NA CAMARA

Por Amorim Sangue Novo

Não acredito que o autor desta sandice não seja um pau mandado de alguns “ratões” que estão tentando se apropriar do poder, até por que há sempre o envolvimento de cabeças pensantes em situações deste tipo, coisa que como se vê, o autor não tem.

Causa-me asco manipuladores deste tipo e, infelizmente há pessoas que, sem cultura e conhecimento político, acham bonitas e divertidas as situações iguais a esta. Pessoas estas que são manipuladas pela grande mídia e que, em sua ingenuidade, não irá se aperceber que o que querem é de todas as formas, deteriorarem a imagem de todos os seus “opositores” perante a nação.

O homem que soltou cinco roedores na sala da Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (9), onde ocorria o depoimento do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, é servidor da Câmara. Marcio Martins de Oliveira é funcionário da segunda vice-presidência da Câmara dos Deputados e ocupava o cargo desde março deste ano.

O servidor será exonerado, conforme confirmou o presidente da CPI, Hugo Motta (PMDB-PB).

A presença dos animais causou tumulto na sessão, e deputados chegaram a gritar que a CPI estava “virando um circo”.

Marcio foi detido nesta quinta-feira (9) após soltar dois ratos, dois hamsters e um esquilo da Mongólia antes do início do depoimento de Vaccari na CPI da Petrobras.

A segunda vice-presidência é ocupada pelo deputado Fernando Giacobo (PR-PR). O deputado ainda não foi localizado pela reportagem do UOL.

A deputada Professora Marcivania (PT-AP) esteve no Departamento de Polícia Legislativa e disse que Marcio se mostrava “confuso”, afirmando inclusive que não sabia como havia chegado à Câmara. Marcio continua detido.

Também esteve no local o assessor jurídico do PT Adilson José Carlos Barbosa. Ele disse que o partido vai registrar ocorrência por “constrangimento”.

Com informações da Agência Câmara

Ajude a acabar com a corrupção no Brasil

 

gilmar_3_200x100É simples — 95% de todas as doações para as campanhas eleitorais vieram de empresas privadas. Uma ação no STF quer acabar com esses repasses milionários para candidatos e seus partidos políticos, mas o processo emperrou nas mãos de um único ministro: Gilmar Mendes. Mas até agora ninguém conseguiu convencê-lo — assine e compartilhe:

Neste momento corre uma ação no STF que pode proibir empresas de doarem milhões para candidatos e partidos políticos. Especialistas dizem que esse é o “gene da corrupção” e, para combatê-lo, precisaremos de todos.

95% de todas as doações para campanhas eleitorais foram feitas por grandes empresas — inclusive as envolvidas no escândalo Lava-jato. É assim que as empresas investem para então ganhar em troca acesso ao poder e influência, mas isso está prestes a mudar.

A maioria dos ministros do STF já votou pelo fim dessas doações, mas o processo emperrou nas mãos de um único ministro: Gilmar Mendes.

Ninguém conseguiu convencê-lo ainda. Ele sabe que não pode segurar a decisão para sempre, mas sem pressão ele vai levando — já levou por 1 ano!! Vamos mostrar ao ministro Gilmar que centenas de milhares de brasileiros se uniram contra o gene da corrupção. Assine para conseguirmos a maior mudança da política brasileira nos últimos anos — depois repasse para todos:

https://secure.avaaz.org/po/devolve_gilmar/?buIhqfb&v=56506

Se essa ação judicial da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no STF for aprovada, nossa Constituição passará a dizer que só cidadãos podem escolher os representantes políticos. Hoje, os principais doadores acabam influenciando as eleições e são recompensados com a lealdade e contratos públicos generosos após seus candidatos serem eleitos. Pesquisas mostram que a cada R$1 doado por uma empresa a um candidato, R$8,50 retornam por meio de contratos públicos — um lucro exorbitante das empresas às custas de nosso voto.

Os que se opõem à mudança dizem que se proibirmos doações de empresas, aumentará o fluxo de dinheiro pelo caixa dois, o que tornará investigações mais difíceis. Mas o caixa dois já existe hoje e pouco se fez para impedir que aconteça! Se empresas não puderem contribuir com candidatos, será mais simples detectar campanhas com muito dinheiro e o caixa dois deve secar.

A lei permite que ministros peçam vista de um processo por apenas 20 dias, mas uma manobra burocrática vem segurando o julgamento já há mais de 1 ano!! Há indícios de que ele está esperando deputados que, assim como ele, são favoráveis ao dinheiro de pessoas jurídicas e preferem legalizar as doações de empresas mudando a Constituição de uma vez.

Mas o que Gilmar precisa saber é que o Brasil não pode mais esperar! Junte-se a essa ação urgente agora — vamos engrossar o apelo da OAB com nossas vozes e abraçar essa chance de salvar o país da corrupção:

https://secure.avaaz.org/po/devolve_gilmar/?buIhqfb&v=56506

A relação entre o dinheiro e a política é um mal neste país. Mas cada vez mais, a voz do povo tem transformado os canais de poder e forçado por mudança. Foi assim quando ajudamos a aprovar a Ficha Limpa, com a PEC contra o voto secreto e muitas outras vitórias. Vamos nos unir mais uma vez e vencer mais uma batalha pela nossa democracia.

Com esperança e determinação,

Joseph, Michael, Diego, Carol, Maria Paz, Luis e toda a equipe da Avaaz

Mais informações:

Ação que proíbe doação eleitoral de empresas completa 10 meses parada no Supremo (Estadão)
http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,acao-que-proibe-doacao-eleitoral-de-empresas-completa-10-meses-parada-no-supremo,1619273

Financiamento de campanha dificulta reforma política, dizem especialista (O Globo)
http://oglobo.globo.com/brasil/financiamento-de-campanha-dificulta-reforma-politica-dizem-especialistas-14404612

Financiamento de campanha motivou desvios na Petrobras, avalia Toffoli (G1)
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/11/financiamento-de-campanha-motivou-desvios-na-petrobras-avalia-toffoli.html

Empresas fazem doações para até oito partidos na mesma eleição (Rede Brasil Atual)
http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2014/01/empresas-que-mais-financiam-campanhas-optam-por-doacoes-para-tres-partidos-8005.html

Maioria do STF vota pelo fim das doações de empresas para campanhas (Folha de São Paulo)
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1434761-maioria-do-stf-vota-pelo-fim-das-doacoes-de-empresas-para-campanhas.shtml

Da redação com, Avaaz

Leia também:
Você acha certo nosso dinheiro ir para campanha de candidatos? >>>