Prefeitos não geram receitas e ficam com “pires da mão”

Prefeitos não geram receitas e ficam com “pires da mão”

prefeito pensando amorimPor Amorim Sangue Novo

É interessante como a grande maioria dos prefeitos fica de braços cruzados, esperando o dinheiro cair do céu e sem procurar gerar receitas para seus municípios.

O problema é que os chefes de executivos preferem ficar de bem com a população e com isto não aumentam taxas e impostos e outros, repassando assim o problema de arrecadação para seus sucessores.

Em 2014 a inflação medida pelo IBGE foi 6, 41, o que, em grande parte da maioria das prefeituras, incidiu sobre a folha de pagamento.

Claro que outros aumentos incidiram sobre diversos outros produtos, portanto aumentando, em valores, as despesas das prefeituras.

Não precisa ser contador pra saber que, se aumentam os valores gastos ou a gastar, há que se ganhar mais para suprir a demanda financeira, coisa esta que deve passar despercebida, por conveniência, incompetência ou ingerência dos chefes do Executivo, com isto eles ficam “correndo” atrás de recursos do estado e da união. Quando estes prefeitos não têm muito envolvimento político com os deputados que têm mais e melhor envolvimento com os governadores, apelam para os vereadores, os quais não têm poder para se dirigirem ao governador; Vereadores estes que às vezes nem percebem que levou um pito do governador, ao citar que estes devem pedir ao prefeito para que este solicite a intermediação de um deputado.

Ainda no mês passado estive lendo em uma página de um vereador no Facebook, que este, até por falta de discernimento, faz uma citação semelhante ao acima, sendo que depois que o prefeito se dirige, como se fosse um esmoler, aos governadores e, se consegue uma verba, batem no peito e diz que foi ele conseguiu. Mentira deslavada que faz com que os menos desavisados acreditem.

É hora de saber dosar seus limites e suas atribuições e, por isto mesmo, a desde 19/04 disponibilizei no site as atribuições de cada cargo político.

Leia também:

Deputado Bragato reforça pedido e governador libera recursos para municípios >>>
Prefeituras paulistas recebem R$ 729 milhões em repasses de ICMS >>>

Morador de Paulicéia agradece ao Ministério Público de Panorama

Morador de Paulicéia agradece ao Ministério Público de Panorama

Panorama-Pauliceia portal de entradaPor Amorim Sangue Novo

Atendendo ao pedido do Sr. Carlos, que me enviou a mensagem abaixo:
“Bom dia seu Amorim, Moro em Pauliceia e todo dia leio seu site e gosto muito de suas publicação e por ele queria mandar meu obrigado publcamente para o ministério publico de Panorama por mandar que a santa casa atendesse os morador daqui da cidade. Obrigado “Carlos”

Sr. Carlos, aproveito a ocasião, para citar que realmente o Ministério Público de Panorama, que abrange as cidades de Panorama, Paulicéia e Santa Mercedes, realmente merece o reconhecimento pelos bons trabalhos exercidos, principalmente, nos últimos anos e, já citado em matéria anterior (veja), quando,  por isto mesmo já fiz uma observação a este respeito.

O que vejo também, Sr. Carlos, é que a falta de entendimento entre os gestores de várias prefeituras e que, neste caso envolve a provedoria da Santa Casa de Panorama, está fazendo com que as atitudes tenham que ter sido através de interferência do MP, quando cabe aos chefes de Executivo.

Aliás meu caro leitor, na cidade de Panorama está sendo uma constante, talvez por negligência, incompetência ou despreparo.

Sr. Carlos, vamos esperar para ver se será preciso uma intervenção do MP para que o patrimônio público seja resguardado, evitando assim furtos e depredação dos bens do público (eu disse, do público), como foi no caso da ambulância que, dizem, haver sido furtada neste último fim de semana (leia), ambulância esta que, com certeza, fará falta para atender a demanda, sendo que, inclusive já há queixa de usuário (leia), a qual foi desmentida pelo encarregado do setor de ambulâncias mas, como diz o ditado, onde há fumaça há fogo e até porque já existe outros veículos em estado de penúria (veja foto no G1), veículos estes que poderiam estar sendo recuperados, aos invés de investimentos em festas.

É de fato uma lástima que tamanho desleixo esteja acontecendo nesta linda cidade e, mesmo não sendo especialista em direito político, creio que, neste caso, até caberia um procedimento para se constatar se há improbidade administrativa,. Pena é que os vereadores e a oposição, talvez até por comodismo ou ineficácia, abstêm-se de tomar as medidas cabíveis.

Fotos: Arquivo do Jornal Digital Panô City

OBS.: O texto do leitor não foi editado, permanecendo no original