Produtores defendem aumento da mistura de biodiesel

Segundo o deputado Evandro Gussi (PV-SP), “além das externalidades sociais e ambientais, a ampliação do uso do biodiesel resultará em benefícios econômicos mais imediatos (…)”

Imagem ilustrativa – editada

A antecipação para julho deste ano da mistura obrigatória de 9% de biodiesel no diesel comercializado no Brasil – o chamado B9, programada para março do próximo ano – foi tema de audiência do setor de biodiesel com o ministro de Minas e Energia (MME), Fernando Coelho Filho, nesta terça-feira (28/03), em Brasília.

Participaram do encontro representantes da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FrenteBio), União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio) e Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).

A expectativa é que a pauta seja levada ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) para antecipação do aumento na mistura obrigatória para B9, em julho e B10 em março de 2018, conforme já previsto na Lei 13.263/2016, que rege o setor.

Segundo o presidente da FrenteBio, deputado federal Evandro Gussi (PV-SP), além das externalidades sociais e ambientais, a ampliação do uso do biodiesel resultará em benefícios econômicos mais imediatos, já que a necessidade de importação de óleo diesel será menor, e o aumento no volume necessário de biodiesel para suprir a demanda nacional movimentará a economia.

“Apenas nos dois primeiros meses de 2017, o volume de diesel importado alcançou dois bilhões de litros, montante 247% maior do que o observado no primeiro bimestre de 2016”, destaca o documento entregue pelo setor produtivo ao ministro.

Outro ponto abordado na audiência foi o reflexo da retração da economia no consumo de diesel e biodiesel. “A retração do mercado de diesel foi severa pelo segundo ano consecutivo, resultante dos efeitos da crise econômica que o país vem atravessando e impõe ao setor de biodiesel ociosidade média da ordem de 50%, patamar preocupante para qualquer setor industrial […]. Cerca de 15 unidades estão paralisadas pelo elevado estresse de oferta decorrente dessa ociosidade”, apontam as entidades representativas do setor.

A mistura de biodiesel em vigor atualmente é de 8% (B8). O aumento para B9 ainda em 2017 é apontado como uma oportunidade para que o país estimule a indústria nacional e movimente a economia nos segmentos de produção, transporte e logística, com reflexos na geração de emprego e renda e a oferta interna de farelo de soja, resultante do processamento do biocombustível e essencial para a produção de proteína animal.

Postado originalmente no Segs – Título e subtítulo: Amorim Sangue Novo

Sobre Amorim Sangue Novo

Amorim Sangue Novo, é jornalista--Mtb/SP 59858, contador-CRC/SP 842.156 e especialista em hardware (Desenvolvedor Microsoft). Foi colunista no jornal interno da Lion/Caterpillar, criou e foi redator chefe do jornal interno da Adubos Vianna e é Ex-Diretor de Trânsito na cidade de Panorama. Diretor na Amorim Informática e Jornalismo. atua como editor dos sites Jornal Digital Panô City -www.panocity.com.br- e Sem medo da verdade -www.semmedodaverdade.com.br- e mantém páginas em diversos outros sites e blogs.
Esta entrada foi publicada em Amorim Sangue Novo, Notícias e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.