Luiz Hennemann, um exemplo a ser seguido

Luiz Hennemann, um exemplo a ser seguido

Luiz Hennemann“Secretário de Obras de Taquara, Luiz Leonel Hennemann está com 65 anos. Ele é filho de João Osvaldo Hennemann e Terezinha Jozebina Hennemann. Natural de Taquara, é pai de Eduardo (43 anos), Marcelo (37) e Nicole (15).

Luiz, conte sobre a sua história: Fiz de tudo nessa vida. Eu nasci e cresci na Padilha, e fui batizado na igreja católica da Recosta. Morava com meus avós e pais, e cedo, com seis anos, já comecei a trabalhar. Plantávamos e vendíamos flor de piretro para a Piretro do Brasil S/A. Aos oito anos, nos mudamos para o bairro Santa Maria, onde meu pai construiu uma olaria em sociedade com um amigo, Antônio. Ainda pequeno, fiz catequese na igreja matriz e estudei no Cimol e também em escolas municipais, mas tive de interromper os estudos na quinta série, quando tinha 17 anos. Nesta mesma época, fiz minha carteira de habilitação de motorista, pois queria servir ao Exército como mecânico e havia feito um curso de mecânica por correspondência, dos meus 14 aos 17 anos. Como não consegui ingressar, voltei a trabalhar com meu pai e, aos 19, fui trabalhar no caminhão com meu tio David Livi e primos, transportando madeira e papel fotográfico para vários estados, como São Paulo e Minas. Também transportei operário para a Sul Americana Eletrificação e um ano como caminhoneiro para a Petrobrás. Neste período eu casei com Jussara Hennemann e fomos morar em Parobé. Ainda trabalhei como motorista por muito tempo, passando pela Sultepa Camargo Correia, cartonagem Saft Feiten, Saft LTDA, onde saí como gerente gestor após 12 anos de firma. Depois montei um mercadinho e, 1988, ingressei na carreira política, concorrendo como vereador em Parobé.

E quando se tornou secretário municipal? Como não alcancei os votos para ser vereador, fui trabalhar como mecânico e chapeador, até que fui convidado a assumir a Secretaria de Obras e Trânsito de Parobé, onde permaneci por dois mandatos. Mais tarde, em 1994, fui para Igrejinha, onde atuei por 12 anos. Neste meio tempo, trabalhei mais quatro anos em Parobé. Saí de Igrejinha pela segunda vez em 2012, e vim trabalhar em Taquara, em 2014. Gosto muito de ser secretário de Obras, saber que estou deixando a cidade mais bonita, limpa, organizada, e não penso em parar por enquanto.

Ao todo, você teve quatro filhos, não é? Sim. O primeiro, João Luiz, faleceu com nove dias de vida. Depois nasceram o Eduardo e o Marcelo. Em 1991 me separei e conheci Ivete Clara Braun, com quem me uni e tivemos a Nicole, hoje com 15 anos, e que tem síndrome de down.

Como você se define? Um homem realizado, com o que já fiz, com a vida. E também alguém disposto a ajudar os outros.

O que gosta de fazer nas horas vagas? Viajar com a família, principalmente ir para a praia, em Santa Catarina.

Um filme: A vida é bela, que me marcou muito.

Qual seu hobby? Passar horas na oficina nos fundos de casa, mexendo em carro e caminhão velho (risos).

Deixe uma mensagem aos leitores do Jornal: “Jamais desista daquilo que você realmente quer alcançar”.”

 

Postado originalmente no Jornal Panorama – Título Amorim Sangue Novo

Sobre Amorim Sangue Novo

Amorim Sangue Novo, é jornalista--Mtb/SP 59858, contador-CRC/SP 842.156 e especialista em hardware (Desenvolvedor Microsoft). Foi colunista no jornal interno da Lion/Caterpillar, criou e foi redator chefe do jornal interno da Adubos Vianna e é Ex-Diretor de Trânsito na cidade de Panorama. Diretor na Amorim Informática e Jornalismo. atua como editor dos sites Jornal Digital Panô City -www.panocity.com.br- e Sem medo da verdade -www.semmedodaverdade.com.br- e mantém páginas em diversos outros sites e blogs.
Esta entrada foi publicada em Amorim Sangue Novo, Comportamento, Notícias, Política e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.