Dama e vagabundo

Dama e vagabundo

Por Vera Lúcia Dal Sasso

dama e vagabundoSonhe
Com pensamentos acompanhe
Delírios de amantes
De corpos navegantes
Situe a embarcação
No mar revolto da excitação
Embale a consciência
Não tenha nenhuma clemência
Apure os sentidos
Enleve gemidos
Não há sentido a inocência
Apenas atos de indecência
Subjugue o anseio
Perca o freio
Não seja prudente
Amante demente
Suspiros e sussurros
Libertinos berros
De gozo profundo
Da dama e do vagabundo

Sobre Amorim Sangue Novo

Amorim Sangue Novo, é jornalista--Mtb/SP 59858, contador-CRC/SP 842.156 e especialista em hardware (Desenvolvedor Microsoft). Foi colunista no jornal interno da Lion/Caterpillar, criou e foi redator chefe do jornal interno da Adubos Vianna e é Ex-Diretor de Trânsito na cidade de Panorama. Diretor na Amorim Informática e Jornalismo. atua como editor dos sites Jornal Digital Panô City -www.panocity.com.br- e Sem medo da verdade -www.semmedodaverdade.com.br- e mantém páginas em diversos outros sites e blogs.
Esta entrada foi publicada em Amorim Sangue Novo, Comportamento e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.