A última postagem do blog do Cadu

CAdu

A última postagem do blog do Cadu

Por Amorim Sangue Novo

Há exatos um ano e um mês atrás, o blog do Cadu tecia comentários sbre o “mensalão” tucano.

Após dois dias o blog anunciou que estava parando suas atividades.

Não tenho a intenção de questionar o colega sobre ter parado após sete anos, porém o que se nota é uma insatisfação geral com a política e políticos brasileiros e a sensação de impunidade está fazendo com que muitos jornalistas e blogueiros estão “abandonando o barco”. Esta mesma intenção me persegue a algum tempo.

Já nas redes sociais aumenta o número de posts sobre política e, apesar de se verificar muitos questionamentos sem fundamento, ao mesmo tempo, alguns deles demonstram conhecimento de causa.

Meu amigo Rubetta, foi mais além e demonstra esta sua “inquietude” quanto aos governantes através de seu site (veja), mas o que importa aqui e agora é a pergunta do Cadu: Cadê?

“Mensalão” tucano: cadê a indignação?

Imprensa grande imparcial. Só que não #SQN

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu conceder a Eduardo Azeredo (PSDB), ex-governador de Minas Gerias e ex-deputado federal, o direito a ser julgado em primeira instância no caso do “mensalão” tucano. Azeredo renunciou ao mandato na Câmara dos Deputados por causa. Ao contrário do que aconteceu com os réus do “mensalão” petista na Ação Penal 470.

José Dirceu, por exemplo, não era mais deputado federal – foi cassado – quando o processo se iniciou no STF, mas a ele não lhe foi dado o direito a um duplo julgamento. Dois pesos, duas medidas.

Dois pesos, duas medidas também no tratamento da imprensa grande. Mesmo quando só réus entraram com embargos para novo julgamento de parte do processo que respondiam, a mídia grande logo tratou de atacá-los como se fosse petulância exigir seus direitos. O julgamento foi transformado em um thriller televisivo. De forma sumária, a mídia julgou e condenou todos os réus.

Dois pesos, duas medidas também na reação dos pseudomoralistas de plantão. Cadê as atrizes da Globo vestidas de preto “com vergonha do Brasil”? Cadê os compartilhamentos cheios de ódio pela “proteção aos poderosos” no judiciário? Cadê a revolta em viver em um país onde “corruptos não são presos”?

Cadê?

Também o que se pode esperar de uma classe média – tradicional – que acha normal linchar e espancar jovem negros no meio da rua por serem suspeitos de cometerem um roubo ou furto, ou qualquer outro crime? Mas quando é um filhote da elite branca, vale o Estado democrático de direito. Dois pesos, duas medidas.

Cadê a revolta com o STF por proteger “mensaleiros”? Se for tucano, tudo bem. Afinal, não deu no Jornal Nacional. Ou pelo menos o William Bonner não levantou a sobrancelha direita ao ler o teleprompter com a notícia. Nem será destaque no Fantástico (?) ou mesmo capa de Veja.

Cadê a ira das “famílias de bem” que “não aguentam mais tanta impunidade”? Cadê?

Cadê as máscaras de filme hollywoodiano, os narizes de palhaço e os cartazes com frases de efeito afirmando que o “gigante acordou”? Onde estão?

O gato comeu!

Sobre Amorim Sangue Novo

Amorim Sangue Novo, é jornalista--Mtb/SP 59858, contador-CRC/SP 842.156 e especialista em hardware (Desenvolvedor Microsoft). Foi colunista no jornal interno da Lion/Caterpillar, criou e foi redator chefe do jornal interno da Adubos Vianna e é Ex-Diretor de Trânsito na cidade de Panorama. Diretor na Amorim Informática e Jornalismo. atua como editor dos sites Jornal Digital Panô City -www.panocity.com.br- e Sem medo da verdade -www.semmedodaverdade.com.br- e mantém páginas em diversos outros sites e blogs.
Esta entrada foi publicada em Amorim Sangue Novo, Opinião, Política e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.