A hora é de renovação!

A hora é de renovação!
renovacaoPor Amorim Sangue Novo
Há muito tempo nós ouvimos falar nos mesmos nomes e nas mesmas “famílias” e, se coloco a palavra família entre aspas é por que me refiro também a grupos, na política brasileira.
Entre outros, estão os Neves; os Sarney’s; os Brizola’s; os Genros; os Collor’s; os Maluf’s; os Cunha’s, lembrando que o Aécio também é Cunha, e recentemente, os Lula’s e os Tiririca’s.
A primeira “família” que conheci foram os Magalhães. Foram os Juracy’s; os Jutataí’s, e os Antonio’s Carlos, sendo que, até hoje, a família é representada pelo prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães Neto, eleito em 2012 com 53,51% dos votos válidos.
Estas “famílias”, normalmente, são criadas nos pequenos municípios, por latifundiários e ”coronéis”, sendo que, muitos deles trazem “heranças mentais” da época da escravidão e se impõem através do domínio dos menos favorecidos, através da imposição e do medo.
São pessoas, em sua maioria, desprovidas de bom senso, que acham que quanto mais “burro” for o povo mais favorecidos eles serão. São pessoas que “produzem” dificuldade para “venderem” facilidades, transferindo para si a imagem de “o salvador da pátria”. São pessoas que, quase em sua totalidade, pensam exclusivamente no seu bem estar, principalmente financeiro, portanto…
A hora de é de mudança!
Uma mudança radical onde as cabeças, cabeças jovens, cabeças pensantes, cabeças desprovidas da avareza, da luxúria, e da soberba, Cabeças que não sejam radicais em seus princípios, mas nos princípios e necessidades de toda uma nação. Cabeças que pensem na educação, na saúde, na segurança e no bem estar do humano.
Precisamos sim, (e este é um discurso antigo), de políticos, sérios, honestos, competentes, humanos e, principalmente desapegados da ira e humanos, sem deixar de lado a austeridade no trato dos seus “comandados”, ou como citou Che Guevara “Hay que endurecer, pero sin perder la ternura jamás“.
A hora é de escolher candidatos que esqueçam as palavras autoridade e poder, e lembre-se que poderão ser representantes constituídos pelo povo e que a este deverá prestar respeito e satisfação, como “empregados” provisórios, até porque a Carta Magna, em seu artigo 1, parágrafo 1 é bem clara: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.”.
A hora é de se eleger candidatos não “profissionais” os quais, na maioria, já trazem “vícios” políticos.
A hora é agora…

Sobre Amorim Sangue Novo

Amorim Sangue Novo, é jornalista--Mtb/SP 59858, contador-CRC/SP 842.156 e especialista em hardware (Desenvolvedor Microsoft). Foi colunista no jornal interno da Lion/Caterpillar, criou e foi redator chefe do jornal interno da Adubos Vianna e é Ex-Diretor de Trânsito na cidade de Panorama. Diretor na Amorim Informática e Jornalismo. atua como editor dos sites Jornal Digital Panô City -www.panocity.com.br- e Sem medo da verdade -www.semmedodaverdade.com.br- e mantém páginas em diversos outros sites e blogs.
Esta entrada foi publicada em Amorim Sangue Novo, Opinião, Política e marcada com a tag , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.