A educação, Tiradentes e a rã

Por Amorim Sangue Novo

Ontem, dia de Tiradentes, coloquei aqui no site um filme sobre Tiradentes. Fracasso de público, como se diz sobre os filmes nas “telonas” e espetáculos teatrais.

Mas a estória aqui é sobre história e cultura.

Ainda ontem recebi a visita de um corretor de imóveis e conversamos por um longo tempo e, como sempre, a conversa descambou para a política, meu pra favorito.

Claro, que Tiradentes faz parte de nossa política e descambamos para a falta de conhecimento dos jovens, cultura e escolaridade (como ele me falou que migrou de outra profissão para ser corretor, pelo seu conhecimento no assunto, creio que ele era professor – eu deveria ter sido indiscreto e perguntado-).

Mas, continuando: Foram tantas a estórias que nos vieram à cabeça sobre o ensinamento, ou a falta deste, nas escolas, que nos perdemos no tempo.

Uma delas é que ele, o corretor, ao perguntar à sua filha, a qual deverá prestar vestibular em breve, sobre quem foi Tiradentes, esta respondeu que não sabia e ele questionou se a professora não ensinou, ao que ela respondeu que não.

Já durante a madrugada, assisti parte do programa Okay Pessoal, com o apresentador Otávio Mesquita (acho-o chato prá cacete – este “prá cacete” é pra descontrair-, mas o programa acho bom e há algum tempo penso em recomendar).

Estando para terminar o programa, “Tavinho”, como era conhecido, perguntou para a sua pequena plateia, composta de aproximadamente doze pessoas, se alguém sabia quem foi Tiradentes, silêncio total, até uma jovem de aproximadamente 25 anos, respondeu: “O descobridor do Brasil”, declarando assim não saber quem foi o Mártir da Independência, quem descobriu o Brasil e quando a Ilha de Vera Cruz (primeira denominação do Brasil) foi descoberta por Cabral.

A mim, confesso, não causou espanto algum, pois a apresentadora (?) “filha do dono”, em programa dominical de três semanas atrás, declarou não saber o que é baioneta e esfinge e que não se come rã.
O diferencial é que a Patrícia foi educada, creio que, na França.

Como diria o Tembado, “merci for you”

Leia também:
Professores defendem maior formação para educação de qualidade >>>

Sobre Amorim Sangue Novo

Amorim Sangue Novo, é jornalista--Mtb/SP 59858, contador-CRC/SP 842.156 e especialista em hardware (Desenvolvedor Microsoft). Foi colunista no jornal interno da Lion/Caterpillar, criou e foi redator chefe do jornal interno da Adubos Vianna e é Ex-Diretor de Trânsito na cidade de Panorama. Diretor na Amorim Informática e Jornalismo. atua como editor dos sites Jornal Digital Panô City -www.panocity.com.br- e Sem medo da verdade -www.semmedodaverdade.com.br- e mantém páginas em diversos outros sites e blogs.
Esta entrada foi publicada em Amorim Sangue Novo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.