Deputados criticam terceirização

Ministro do Trabalho diz que, no Brasil, a terceirização já é uma realidade

Imagem ilustrativa

Em audiência com o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, diversos deputados criticaram a aprovação do projeto da terceirização na semana passada pela Câmara dos Deputados, principalmente porque ele permite a terceirização da atividade-fim de uma empresa.

O deputado Robinson Almeida (PT-BA) pediu que o ministro Ronaldo Nogueira intercedesse para que o presidente Michel Temer não sancione a matéria. “Para ela ir a sanção, precisa da opinião do Ministério do Trabalho. O senhor sugerirá vetos? Há um clamor na sociedade brasileira para que esse projeto não seja sancionado”, sugeriu. Ele lembrou ainda que o Supremo Tribunal Federal (STF) questionou a legalidade da terceirização e já pediu à Câmara dos Deputados informações sobre a proposta, o que impediria sua sanção.

Já o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) afirmou que Ronaldo Nogueira não estaria preparado para ser ministro do Trabalho, já que permitiu a aprovação da terceirização. “Essa terceirização vai ter um impacto na reforma da Previdência. Na hora que o trabalhador deixa de ter a carteira assinada, ele para de recolher a contribuição previdenciária”, disse Costa.

Segundo o ministro, no entanto, a terceirização é um fenômeno global e no Brasil é uma realidade, com 12 milhões de trabalhadores nessa modalidade de trabalho. “Nós precisamos ter um marco regulatório que traga segurança jurídica para esse trabalhador. Tem acontecido de empresas terceirizadas atrasarem pagamento de trabalhadores, algumas desaparecem de uma hora para outra”, observou Nogueira, sem mencionar a terceirização de atividades-fim.

O ministro participou de audiência pública na Comissão de Trabalho, de Administração e de Serviço Público. A reunião já foi encerrada.

TEMPO REAL:

‘Agência Câmara Notícias’

 

  • Imprimir

Deputados usam e abusam do envio e correspondências às nossas expensas

Apesar da permissão e reembolso pela Câmara Federal das despesas com envio de correspondências, os deputados extrapolam nos valores gastos


Filha de Jefferson, deputado do Pros e Bolsonaro gastam R$ 28 mil mensais com Correios
Deputados Cristiane Brasil (PTB-RJ), Eros Biondini (Pros-MG) e Jair Bolsonaro (PSC-RJ) Em um ano, 564 deputados federais, entre eleitos e suplentes, utilizaram R$ 3.987.966,95 em serviços postais da chamada cota parlamentar, verba…Leia a matéria completa clicando aqui >>>