Transparency International cita corrupção no Brasil

Transparency International cita corrupção no Brasil

clique na imagem para ampliar

Grandes casos de corrupção, da Petrobras e Odebrecht no Brasil até o ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovych, mostram como o conluio entre empresas e políticos subtrai das economias nacionais bilhões de dólares que foram canalizados para beneficiar poucos às custas de muitos. Esse tipo de corrupção sistêmica e em larga escala viola os direitos humanos, impede o desenvolvimento sustentável e alimenta a exclusão social.

Veja Matéria:
Berlim, 25 de janeiro de 2017 – O ano de 2016 mostrou que, ao redor do mundo, a corrupção sistêmica e a desigualdade social reforçam uma à outra, levando à falta de confiança popular nas instituições políticas e gerando um solo fértil para o crescimento do populismo.

Sessenta e nove por cento dos 176 países no Índice de Percepção da Corrupção 2016alcançaram menos de 50 pontos em uma escala de 0 (percebido como altamente corrupto) a 100 (percebido como altamente íntegro), expondo como a corrupção é massiva e pervasiva do setor público em escala global. Este ano, mais países caíram do que subiram no índice, demonstrando a necessidade urgente de ação.

Sem oportunidades iguais para todos

A corrupção e a desigualdade alimentam uma à outra, criando um círculo vicioso entre corrupção, distribuição desigual de poder na sociedade e distribuição desigual de riqueza. Como os Panama Papers mostraram, ainda é muito fácil para os ricos e poderosos explorarem a opacidade do sistema financeiro global e enriquecerem às custas do bem público.

“Em muitos países, as pessoas são privadas de suas necessidades mais básicas e vão dormir com fome todas as noites por causa da corrupção, enquanto os poderosos e corruptos aproveitam estilos de vida luxuosos de forma impune”, disse José Ugaz, presidente da Transparência Internacional.

“Nós não podemos nos dar ao luxo de perder tempo. A corrupção precisa ser combatida com urgência para que a vida das pessoas melhore, em todo o mundo”, adicionou Ugaz.

Grandes casos de corrupção, da Petrobras e Odebrecht no Brasil até o ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovych, mostram como o conluio entre empresas e políticos subtrai das economias nacionais bilhões de dólares que foram canalizados para beneficiar poucos às custas de muitos. Esse tipo de corrupção sistêmica e em larga escala viola os direitos humanos, impede o desenvolvimento sustentável e alimenta a exclusão social.

No entanto, o país demonstrou em 2016 que por meio do trabalho independente de agentes da lei é possível punir aqueles que antes eram considerados intocáveis.

Populismo é o remédio errado

As pessoas estão fartas de tantas promessas vazias de combate à corrupção, e por este motivo estão recorrendo a políticos populistas que prometem mudar o sistema e romper o ciclo da corrupção e do privilégio. No entanto, é provável que isso apenas aumente o problema.

“Em países com líderes populistas ou autocráticos, nós geralmente vemos democracias em declínio e um padrão perturbador de tentativas de repressão da sociedade civil, limitação da liberdade de imprensa e da independência do judiciário. Em vez de combater o capitalismo clientelista, esses líderes geralmente instalam sistemas corruptos ainda piores”, disse Ugaz. “Somente quando há liberdade de expressão, transparência em todos os processos políticos e instituições democráticas fortes, a sociedade civil e a mídia podem responsabilizar aqueles que estão no poder e combater a corrupção com sucesso”.

A pontuação da Hungria e da Turquia no índice, países que viram a ascensão de líderes autocráticos, caiu nos últimos anos. Em contraste, a pontuação da Argentina, que terminou com um governo populista, está começando a melhorar.

O que precisa ser feito

Ajustes técnicos em leis específicas anticorrupção não são o suficiente. O que é urgentemente necessário são reformas sistêmicas profundas, que corrijam o desequilíbrio crescente entre poder e riqueza por meio do empoderamento social para acabar com a impunidade, responsabilizar os poderosos e garantir que as pessoas tenham voz nas decisões que afetam suas vidas.

Essas reformas devem incluir a divulgação, por meio de registros públicos, de quem são os verdadeiros donos de empresas, assim como punições aos profissionais cúmplices que tornam possível a movimentação de dinheiro ilícito através das fronteiras.

Os resultados

O Índice de Percepção da Corrupção 2016 trata das percepções de corrupção no setor público em 176 países. Clique aqui para ver o Índice completo.

A Dinamarca e a Nova Zelândia têm o melhor resultado, com 90 pontos, seguidas de perto pela Finlândia (89) e Suécia (88). Embora nenhum país seja livre de corrupção, os países no topo compartilham características de governo aberto, liberdade de imprensa, liberdades civis e sistemas judiciais independentes.

Pelo décimo ano seguido, a Somália possui o pior desempenho no índice, com apenas 10 pontos este ano. O Sudão do Sul é o penúltimo colocado com 11 pontos, seguido pela Coreia do Norte (12) e a Síria (13). Países nas últimas colocações do índice são caracterizados pela ampla impunidade da corrupção, governança fraca e instituições frágeis.

Países em regiões prejudicadas por problemas, particularmente no Oriente Médio, observaram uma queda mais substancial este ano. O Catar sofreu o maior declínio comparado ao índice de 2015, com uma queda de 10 pontos. “Os escândalos da FIFA, as investigações sobre a decisão de sediar a copa do mundo em 2022 no Catar e os relatórios dos abusos de direitos humanos com trabalhadores imigrantes têm claramente afetado a percepção sobre o país”, disse Ugaz.

Mário Buccironi contesta notícia publicada em jornal e em blog de vereador de Dracena

Mário Buccironi contesta notícia publicada em jornal e em blog de vereador de Dracena

Na foto ilustrativa reunião na prefeitura de Dracena

Segundo a publicação do Jornal Interativo a matéria foi publicada no também foi publicada no jornal Portal Regional em um blog de autoria do vereador Cláudio José, cujo partido (PTN) é o mesmo no prefeito de Dracena, professor Juliano.

De fato, de acordo com a publicação de 29/06/17 (veja), o prefeito Pedretti conseguiu a liberação de 29,8 milhões para a construção de 300 casas, conforme sugestão de pauta que nos foi enviada.

Leia abaixo, em nossa seção Leia mais, uma gama de matéria sobre construções de casas populares em Dracena

Leia trecho da matéria do Jornal Interativo
“Projeto  de  300  casas  da  CDHU   para  Dracena já  foi aprovada  em  29  Novembro  de  2016

Na tarde de ontem recebemos a visita em nossa redação, do senhor Mário Buccironi, Ex Diretor de Indústria e Comércio do governo Pedretti, que nos apresentou documentos em três laudas, encaminhados à Diretoria de Comunicações da Prefeitura de Dracena, contestando matéria divulgada no Jornal Regional e no blog Bastidores da Noticia.

Em sua visita o senhor Mário reitera, que a sua contestação tem exclusivamente a finalidade de esclarecer desinformações contidas nas matérias citadas nos órgãos de imprensa.

Leia a matéria completa clicando AQUI >>>

Leia também:
Pedretti assina convênio no valor de R$ 29,8 milhões para construção das casas populares em Dracena >>>
Prefeito de Dracena apresenta, em Brasília, andamento do processo para a construção de 328 casas populares >>>
Dracena e região terão novas casas construídas através do Morar Bem, Viver Melhor >>>
EXCLUSIVO – Dracena poderá ser beneficiada com novas casas da CDHU >>>
Dracena – Casas do Dorival Inocêncio tem andamento satisfatório >>>
Projeto das 300 casas populares de Dracena está aprovado pelo Graprohab >>>
Reunião sobre andamento dos projetos das casas populares da CDHU em Dracena, Jamaica e Jaciporã é realizada >>>

Izaque Silva pode ser uma esperança para a Região Prudentina

Izaque Silva pode ser uma esperança para a Região Prudentina


“1º ENCONTRO REGIONAL COM PREFEITOS E LIDERANÇAS   POLÍTICAS – PSDB.
Nesta bela manhã, (21/01), participei de um grandioso encontro Regional de lideranças políticas do PSDB, e de outros partidos que também que se fizeram presentes, dentre eles o PSDC Prudentino.
Pelo menos 35 municípios da região de Presidente Prudente e da Alta Paulista estiveram representados na manhã deste sábado, encontro este promovido pelo PSDB a fim de terem um primeiro contato e conhecerem nossos trabalhos e propostas junto a Câmara Federal para esta Região, que congrega mais de 54 municípios, a 10° Região Administrativa.

Do encontro, promovido pelo ex Deputado Estadual e atual coordenador regional do PSDB, Mauro Bragato, participaram prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, secretários municipais, presidentes de partidos políticos e entidades assistenciais e sindicais entre outras lideranças.

O presidente da UNIPONTAL e prefeito de Regente Feijó, Marco Antônio Rocha, destacou as dificuldades que o poder executivo dos municípios está enfrentando já no início da atual gestão e de como a crise nacional reflete de maneira mais contundente em nossa região pela falta de um representante na esfera federal. Rocha foi enfático em apontar que a experiência do Deputado Izaque Silva, eleito por sete (7) legislaturas consecutivas frente à Câmara Municipal, permite a ele conhecer bem não só o processo legislativo, mas os anseios mais básicos e urgentes de nossa região.

O Prefeito Edmar Carlos Mazucato, de Osvaldo Cruz e presidente da União de Prefeitos da Alta Paulista, também destacou que o momento atual vivido pelos prefeitos recém empossados é um dos mais críticos da história, mas foi objetivo em dizer que os desafios demandam maior esforço e dedicação dos eleitos em superá-los.

Apesar de dizer-se consciente das dificuldades que o cenário nacional oferece aos prefeitos da região, é otimista em crer que o Deputado Izaque Silva é alguém que vem para somar esforços na busca por soluções.

Em minha fala fiz um diagnóstico da situação pela qual a região oeste de São Paulo vem enfrentando com a falta de uma representação política na esfera federal há pelo menos seis (6) anos O reflexo disso é que pouca ou quase nenhuma verba originária de recursos parlamentares foi destinada para os municípios que ficaram à mingua.

Deixei claro e sempre friso, que sou um “garimpeiro” com a missão de atuar pela região na busca por recursos da União junto a Ministérios e à Câmara Federal, já que a a minha condição de Deputado Suplente só permitiu que ocupasse a vaga no último dia cinco (05) de janeiro e por um prazo muito provavelmente exíguo até 2018.

Finalizando me coloquei a disposição de prefeitos da região para que não só o PSDB mostre a força de sua união, mas que lideranças e prefeitos de diferentes partidos desde o Pontal à Paulista trabalhem em conjunto por buscar recursos tanto no Estado quanto no Governo Federal, e destaquei dois grandes compromissos enquanto Deputado:
– reivindicar o credenciamento do Hospital Regional do Câncer e envidar esforços para que o projeto da UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente), de investimentos na malha ferroviária regional, seja contemplado com investimentos em modernização.

Izaque Silva.
Deputado Federal.
Compromisso com a Comunidade.”

Leia também:
ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres fará Audiência Pública nesta terça >>>

Postado também minha página no Jusbrasil (veja) >>>

no Linkedin (veja) >>>

e no Congresso em Foco (aguardando moderação)