Atos pela democracia – Isto a Globo não publica

Atos pela democracia –  Isto a Globo não publica

homem morre eletrocutadoEm praticamente todos os estados brasileiros estão sendo feitas manifestações diariamente, porém a que repercutiu um pouco nas mídias parciais foi a de Sergipe, quando um cidadão, ao assistir manifestação prol Dilma, morreu eletrocutado.

Amanhã (31) mais manifestações de atos pela democracia, deverá haver em todos os estados, na Espanha e Portugal, mas isto não interessa á imprensa sensacionalista e parcial, por isto mesmo o pior dos piores canais de imprensa (Conglomerado Globo), maior veículo de comunicação do país, não está “botando a boca no mundo”.

Reveja o vídeo em que o homem morre eletrocutado (2min52seg) clicando aqui >>>

Ou de forma resumida (14) segundos) aqui >>>

Abaixo lista dos estados e local
ATO PELa DEMOCRACIA 31-07-16

Temer, a troca de meia dúzia por zero

 Temer, a troca de meia dúzia por zero

Miriam Belchior critica mudanças na Caixa, que agora é para ricos

miriamA ex-ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que também foi presidenta da Caixa Econômica Federal durante a gestão Dilma Rousseff (PT), criticou as mudanças no banco público anunciadas  pelo interino Michel Temer (PMDB-SP). A Caixa agora passará a fazer financiamento de imóveis de até R$ 3 milhões. Segundo Miriam, enquanto essa faixa com mais renda é privilegiada por Temer, a população mais carente fica sem alternativas. “É nenhuma preocupação com quem mais precisa”, diz.

 “Ao mesmo tempo em que puxa para R$ 3 milhões, congela este ano contratações para a Faixa 1 do programa Minha Casa, Minha Vida – famílias com renda de até R$ 1,8 mil mensais. Acho que essa é a grande questão: o recurso sendo usado para imóveis de valor muito mais alto, enquanto que a população que mais precisa fica sem alternativa”, disse em entrevista ao jornalista Paulo Henrique Amorim, do Conversa Afiada.

Confira abaixo a íntegra:

A propósito de uma decisão do governo interino de a Caixa Econômica Federal passar a financiar imóveis de até R$ 3 milhões – o valor máximo, hoje, é de R$ 1,5 milhão -, o Conversa Afiada entrevistou a ministra Miriam Belchior, que também foi presidenta da Caixa.

PHA: Ministra, como a senhora explica essa decisão?
Miriam Belchior: Acho que quem tem que explicar é o governo interino. Tenho só a lamentar que um banco público como a Caixa mude a sua orientação e passe a fazer financiamento de um montante tão alto. Imagine o que é um imóvel de R$ 3 milhões, que se localiza, por exemplo, numa cidade como São Paulo. Quantos quartos ou suítes, quantas vagas de garagem. E a gente sabe que 80% do déficit habitacional do país fica na faixa de até três salários mínimos. Ao mesmo tempo em que puxa para R$ 3 milhões, congela este ano contratações para a Faixa 1 do programa Minha Casa, Minha Vida – famílias com renda de até R$ 1,8 mil mensais. Acho que essa é a grande questão: o recurso sendo usado para imóveis de valor muito mais alto, enquanto que a população que mais precisa fica sem alternativa.

PHA: A senhora, que conhece a contabilidade da Caixa Econômica Federal, como explicaria isso diante dos recursos disponíveis da Caixa hoje?
Miriam: Olha, eu não vi com detalhes a decisão, mas na verdade a Caixa, aparentemente, está contratando abaixo do que está orçado para o ano. Ela tem os recursos e não consegue contratar tudo o que está disponível. Por isso está ampliando o teto do valor do imóvel. Considero que isso não é o mais adequado para um banco público.

PHA: Seria essa – especulação minha – uma medida para atrair interesses da indústria da construção civil?
Miriam: É, pode ser que seja, não sei dizer o que é que está movendo essa decisão. Acho que o que é muito mais importante, e que mostra bem o que é o governo interino, é nenhuma preocupação com quem mais precisa. Então, aumenta para R$ 3 milhões, garante o financiamento para quem tem renda muito alta e congela todas as contratações para as famílias de baixa renda.

PHA: Qual seria a faixa do mercado que poderia atender o consumidor de um imóvel de R$ 3 milhões?
Miriam: Certamente insignificante, porque considerando a renda da população brasileira. Quem tem condição de comprar um imóvel de R$ 3 milhões, mesmo financiando, precisa de uma renda muito alta. Portanto, é uma minoria da população brasileira.

PHA: Última pergunta, ministra: quando eles deixam de financiar essa faixa de 0 a 3 salários mínimos, quantas moradias, aproximadamente, deixam de ser construídas?
Miriam: Olha, nós tínhamos programado, quando a Presidenta lançou o programa de dois milhões de moradias do Minha Casa, cerca de 40% eram até essa renda. Então, de 2 milhões, 800 mil, pelo menos, 200 mil por ano – quatro anos. É um número grande – 200 mil moradias, ano – e onde está concentrado o déficit. Como eu disse, 80% do déficit habitacional no país está em até três salários mínimos.

Da redação, com Conversa Afiada – Título: Amorim Sangue Novo

Leitora do Sem medo da verdade elogia comentário de Amorim Sangue Novo

Leitora do Sem medo da verdade elogia comentário de Amorim Sangue Novo

amorim na rede

Quero agradecer a todos os meus leitores pelos elogios e sugestões que recebo diariamente em meu site. Claro que críticas também fazem parte do cotidiano, o que é normal em qualquer democracia. São estes gestos que me fazem crescer e me aprimorar nos meus comentários.

Em uma das postagens faço comentário sobre minha pré-candidatura (veja) a vereador na cidade de Dracena/SP, o que também é alvo de elogios e críticas, principalmente por parte dos opositores e aqueles que, possivelmente não tendem a se rederem às “cobranças” de seus eleitores.

Neste período em que pretendo dar um descanso para a minha mente e, até porque o Legislativo estar em recesso, o que até hoje e, apesar dos meus 69 anos de vida, não entendi o porquê, destaco abaixo o comentário de uma funcionária do alto escalão do governo da cidade de João Pessoa/PB.

5/7/2016 23:14 –Maria Rodrigues de João Pessoa
Gostei do discurso, que bom…estamos cansados/as te tantas promessas em vão.

Precisamos de gente nova, sangue novo… enfim pessoas que realmente honrem seus compromissos com o povo.

Chega de tanto roubo, pra beneficiar esses políticos carreiristas… enquanto o povão continua sem comida na mesa, sem educação, sem uma moradia digna, segurança…”

Até a volta a qual pode ser de forma intempestiva, uma vez que não consigo ficar fora de minha missão jornalística.

Obrigado a todos

Leia também:

Amorim Sangue Novo lança pré-candidatura pelo PSDB com promessa de luta por redução dos subsídios >>>