Sem título

Sem título

moleque quebrando a escolaPor Amorim Sangue Novo

Bem meus amigos, você podem estar estranhando o título, porém depois de analisar mais de 20 títulos que poderia dar a uma criancinha desta, preferi me calar, inclusive prefiro deixar de fazer qualquer comentário, até porque, como disse o Jhony Albanese, que enviou o vídeo para o Youtube …

“O que fazer em casos como esse?

Se der um tapa, tentar segurar e acabar machucando a “criancinha”, aparece assistente social, os pais, “

Será que lembrar daquela música que diz: “Conheci um capeta em forma de guri” (ouça) eu posso?

Política e politicagem

Política e politicagem

politica e politicagem_amorim sangue novoPor Luiz Carlos Amorim

Tenho pânico de política, porque o que rola por aqui, em nosso país, não é política de verdade, é politicagem,  mas seja o que for, ela influi diretamente na minha vida e na vida de todos os cidadãos, então não posso ficar alheio a ela. Ouço pessoas dizendo que não querem saber de política, que não há candidato decente para se escolher, porque são todos iguais. Ou então vejo algumas pessoas aceitando algum benefício em troca do voto, favorecendo a entrada no poder público de candidatos que, comprando votos, mostram bem a que vem.

Pois todos deveríamos prestar muita atenção na política, mesmo que seja a politicagem que grassa em nosso meio, principalmente por causa disso, pois ela afeta, e muito, a vida de cada um de nós. Devemos, sim, procurar saber tudo o que for possível sobre os candidatos, antes de uma eleição. O que não devemos é acreditar em todas as suas promessas e mentiras. E se não houver em quem votar, podemos anular o voto, que é a única maneira de manifestar nosso descontentamento e indignação com o estado de coisas que se arrasta de há tanto tempo.

Precisamos saber votar e precisamos saber cobrar trabalho daqueles em quem votamos, pois eles são pagos por nós e estão a nosso serviço. São os representantes que elegemos para dirigir nossas cidades, nossos Estados e nosso país, que administrarão a saúde, a educação, a segurança, a infraestrutura. São os vereadores, prefeitos, deputados, senadores, governadores e presidente que vão dirigir nossos destinos. São eles que, uma vez colocados no poder pelo nosso voto, aprovarão leis que nos prejudicarão e deixarão de aprovar leis que beneficiariam a sociedade como um todo. São eles que, céleres, legislarão em causa própria, solapando recursos que deveriam reverter em favor do cidadão brasileiro. Falo da corrupção e da impunidade que dilapidam o dinheiro público e impedem que os recursos formados pela grande quantidade de impostos que pagamos sejam aplicados em mais obras. Há que saibamos, mais do nunca, para o nosso próprio bem, em quem estamos votando.

Então a política influi em tudo na vida de cada cidadão. Todos precisamos estar atentos tanto quando formos votar, quanto depois das eleições, quando nossos “representantes” estiverem “trabalhando” para o povo. Porque eles estão lá, ganhando seus altos salários que eles mesmos estipularam, para servir o povo. O povo é quem paga seus salários milionários e os recursos que são “desviados” e que nunca são devolvidos aos cofres públicos.

A política está presente em tudo, favorecendo ou prejudicando a vida de cada cidadão. Há que nos conscientizarmos disso, para que não nos iludamos, achando que o que está acontecendo não tem nada a ver conosco. Porque em razão de não nos importarmos, o país está do jeito que está: desemprego aumentando, preços disparando, mas a corrupção e a impunidade seguindo. As contas de políticos nos paraísos fiscais, abastecidas com dinheiro público – e dinheiro público que dizer dinheiro do cidadão brasileiro, impostos escorchantes pagos com sacrifício pelo povo – se sucedem. Que “política” é essa que deixa o país no desgoverno, que o transforma em balcão de negociatas para uns e outros se manterem no poder?

Sobre o autor
Luiz Carlos Amorim é Escritor, editor e revisor, Fundador e presidente do Grupo Literário A ILHA, com 35 anos de trajetória, cadeira 19 na Academia SulBrasileira de Letras.

Vai uma merla aí?

Vai uma merla aí?

Consequencias-da-droga-merlaPor Amorim Sangue Novo

Não sou o tipo de pessoas que gosta de pendurar títulos, certificados e diplomas em paredes e lembro que uma vez, colocando em ordem os diplomas e certificados que tenho, os quais estava fotografando para guardá-los em um site, minha esposa me falou: “por que você não pendura na parede?” ao que respondi que não havia área física suficiente na sala para colocar todos eles.

Ao você ler o acima poderá, a grosso modo, pensar que quero me “aparecer” e até dou razão, pois apesar de não colocar nas paredes gosto de transferir a propriedades destes, para terceiros, pois suponho que, em assim o fazendo estarei transmitindo às pessoas, de forma indireta, o quanto é importante estudarmos e aprendermos sobre tudo o que se coloca à nossa frente e, apesar de estar com 68 anos, dentro desta idade conclui o curso de formação política e atualmente faço o curso de ciências políticas através da USP.

Este longo preâmbulo se faz para justificar que, ainda a semana passada estive lendo sobre alguns policiais da cidade de Dracena, entre eles o meu preclaro delegado Alexandre Luengo e, do também policial Reginaldo Rosa e, aproveito a ocasião para parabenizá-los por haver concluído o curso de Agente de Capacitação de Agentes Multiplicadores na Prevenção ao Uso de Drogas, o qual é ministrado pela Divisão de Prevenção e Educação/Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Dipe/Denarc), o qual é dirigido a policiais; jornalistas; psicólogos, pedagogos e outros.

Eu, que fiz este curso por duas vezes e também estou habilitado oficialmente a transmitir aos interessados, posso assegurar que foi um dos mais profícuos que tive na vida e, posso também assegurar que nunca fiz uso de drogas ilícitas, mas, se houvesse feito ou estivesse fazendo uso, com certeza, após este curso, deixaria quaisquer tipos de droga de lado.

O título acima se refere à merla, que considero uma das piores drogas na atualidade, e não à merda que é fazer uso de drogas, portanto, se você faz ou pensa em fazer uso de drogas, repense.

Saiba o que é a merla e seus efeitos clicando aqui >>>

Veja um vídeo escolar feito por daiasilfers