Ao filho amado

Ao filho amado

paiPor Amorim Sangue Novo

Você acha que por trás desta seriedade no rosto não tem um corpo que quer sempre brincar com você, filho?

Você acha por detrás desta voz áspera não tem um menino querendo falar de poesias?

Você acha que estas mãos calejadas não sabem afagar e acariciar o filho amado?

Você acha que não choro ao ver você chorar?

Você acha que nas madrugadas não velo o teu sono filho?

Você acha que dentro deste meu coração não bate uma tristeza por sua ausência ou sofrimento, filho?

Você acha que este “velho rabugento” não reclama para o seu bem?

Você acha que o “coroa”, às vezes até rústico e truculento não está prevendo o bem do  filho que ele amo tanto?

Você acha que aquele “puxão de orelha” não foi somente para te educar?

Filho… É tudo por amor a você
Feliz dia dos pais a todos os pais que amam, respeitam e educam.

Uma homenagem de Amorim Sangue Novo

“Minino mimaduuuuuuuuu“

“Minino mimaduuuuuuuuu“

aecio censuradaPor Amorim Sangue Novo

Discordo do Lula, por haver dito que o Aécio é um “playboy mimado” pois sempre citei em meus sites e comentários que o Aécio é um “minino mimado”, portanto isto vem desde a infância e Aécio, se quiser me processar fique à vontade, pois além de “ganhar nome” eu não vou te pagar nada, pois nada tenho. O que poderá haver é no máximo eu ter que pegar uma “cana”, se é que assim o denominar pode ser considerado crime.

Aécio, toma tento e vai trabalhar “minino”, é pra isto que nós te pagamos

A pedido do PSDB, PF vai interrogar Lula por ter chamado Aécio de “playboy mimado”

AecioLula1505O inquérito foi aberto em 9 de fevereiro em solicitação do procurador regional eleitoral, Patrick Salgado, com base em representação da coligação “Muda Brasil”, do PSDB e aliados.

A Polícia Federal (PF) em Minas vai interrogar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por meio de carta precatória, em uma investigação eleitoral em que o petista é suspeito de ter cometido os crimes de calúnia, injúria e difamação contra o senador Aécio Neves (PSDB) na reta final da campanha de 2014.

Os supostos delitos teriam ocorrido num comício em prol da candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), no bairro Santa Tereza, em Belo Horizonte, em 18 de outubro de 2014. Com o acirramento da campanha, Lula partiu para o ataque contra o tucano naquele dia.

Violência

No comício, Lula acusou Aécio de usar violência contra as mulheres. “A tática dele é a seguinte: vou partir para a agressão. Meu negócio com mulher é partir para cima agredindo”, discursou o ex-presidente, referindo-se ao tucano. Lula chamou Aécio de “filhinho de papai” e “vingativo”. Insinuou que o tucano tem o hábito de dirigir embriagado, pois teria se recusado a se submeter ao teste do bafômetro em uma blitz no Rio de Janeiro.

“Quando a Dilma perguntou do bafômetro, ele disse que não tinha carteira. Bafômetro não é para medir se tem carteira ou não. Bafômetro não cheira carteira de motorista. Cheira álcool”.

Ainda no palanque, o ex-presidente fez referência ao fato de Aécio ter sido assessor do pai, o ex-deputado federal Aécio Cunha.

Emprego

“Quem sabe qual foi o primeiro emprego do Aécio? O primeiro emprego foi assessor do pai que era deputado eleito por Belo Horizonte. E ele foi assessorar o pai em Minas, em Brasília? Não no Rio de Janeiro”, ressaltou.

Mais cedo, antes de Lula entrar no palanque, o mestre de cerimônias do comício leu uma carta de uma psicóloga que atribui a Aécio a prática de espancar mulheres e de uso de drogas, além de classificá-lo como “ser desprezível”, “cafajeste” e “playboy mimado”.

Depois, o rapper Flávio Renegado, que discursou já na presença de Lula e aliados disse que Aécio costumava fazer festinhas regadas a “pó royal”. Durante o discurso de Lula, grande parte da militância presente emplacou um grito de “Aécio cheirador”.

Procurador classifica como ‘grave’ denúncia contra petista

O procurador regional eleitoral, Patrick Salgado, do Ministério Público Federal (MPF) em Minas, classificou como séria a denúncia de crime eleitoral contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em comício, em BH, na reta final da campanha eleitoral do ano passado, Lula atacou duramente o senador tucano. Candidata à reeleição, a presidente Dilma Rousseff (PT) não estava presente naquele dia.

“Durante esse comício, segundo consta na representação, Luiz Inácio Lula da Silva teria imputado fatos ofensivos à reputação do então candidato à Presidência da República Aécio Neves, além de ter-lhe ofendido a dignidade e o decoro, situação que lhe causou danos à honra objetivo e subjetiva”, considerou Salgado.

Por fim, complementou: “os elementos constantes dos autos deveras sugerem a prática dos crimes de calúnia, difamação e injúria com finalidade eleitoral. O cenário alinhavado está a indicar a utilização de um evento público para ofender a honra do candidato adversário, visando realizar propaganda eleitoral negativa, prática que é altamente reprovável por ferir também a higidez do processo eleitoral”, escreveu o procurador.

Até a disputa presidencial de 2014, uma das mais acirradas do país, Lula e Aécio mantinham um relacionamento amistoso. No primeiro mandato de Lula, foram fotografados juntos em diversas oportunidades. No campo político, Aécio teria sido sondado por Lula para ser candidato a presidente, caso o tucano mudasse de partido.

Até a disputa presidencial de 2014, Lula e Aécio mantinham um relacionamento amistoso